Resultados da Enquete: Fabricaria com tubos torres telecom?

Votantes
12. Você não pode votar nesta enquete
  • Sim, mas com espessura condizente.

    4 33,33%
  • Não, é arriscado.

    8 66,67%
  • Sim, tenho certificação de laboratórios sobre meus tubos.

    0 0%
  • Sim, sou técnico em mecânica e sei como devo manuseiar tubos.

    0 0%
Enquete de Múltipla Escolha.
Página 4 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234
+ Responder ao Tópico



  1. Peço desculpas ao amigo kleber, mas a de tubos eu não faria e a de 36 eu faria iniciando com a base de 42, mas que justamente esse é o assunto o que amigos tem a dizer de tais projetos https://under-linux.org/showthread.php?t=139711 ? a de tubos eu tenho medo.

  2. Sobre o projeto da torre citar PESO de equipto, acho isso de uma inutilidade absurda.

    Torre não cai pra baixo, ela cai pros lados ou torce. Não adianta ter projeto da TORRE se nesse projeto não constar o TIPO de antena usada e dimensões (Arrasto criado).

    NUNCA ví alguém encomendar torre já sabendo que equipto vai colocar em cima. Se encomenda a torre ACHANDO que tal equipamento vai servir, mas se vai mesmo servir ou não tem que fazer o teste de campo.

    Exemplo: Torre de 45m, triangular, com cantoneiras, projeto de engenheiro, previa equipto de 20Kg (Sei lá a utilidade dessa info). Foi feita e montada com checagem final de engenheiro. Problema: A antena prevista, uma parabola fechada de 25dBi era insuficiente (Mapa de terreno não leva em conta vegetação, aqui floresta tem 5-20m de altura (Cerrado 5m, amazonia ou cerradão 20m, em distancia tipo 30Km não dá pra ver todo tipo de mato no caminho, tem que se confiar em mapa de relevo), foi feita a troca por antena de 34dBi, que é pelo menos 2x maior. O engenheiro "reassina" projeto? Nops... ele diz que não dá pra colocar esse equipto e precisaria outro tipo de torre (Mas hein? Se o eng. não se perguntou nenhuma vez da possibilidade de usar OUTRA antena além da prevista inicialmente então ele comprou diploma), foi instalada a antena 34dBi assim mesmo, e em meio ano a torre torceu num vendaval, e caiu.
    Precisando de telecom a fazenda encomendou outra torre, mas dessa vez em serralheiro local, ele sem ver a torre antiga fez a dele como sempre, mas sabendo que seria pra "antena grande" (E serralheiro não entende de telecom, eles só tem PRÁTICA em ver os tipos de antenas usadas geralmente) simplesmente colocou um anti-torção no topo e um 6m abaixo, com a antena no meio deles. Por acaso a ferragem usada pelo serralheiro era de mesma bitola que o projeto do engenheiro. Essa torre foi feita em 2012 e passa bem até hoje.
    Ou seja, se o engenheiro estivesse a fim de trabalhar ele teria requerido um anti-torção a mais na torre pronta, e a colocação da antena mais pra baixo (4m mais pra baixo não mata ninguém), não fez e deu um belo prejuízo pro cliente.

    Mas como o engenheiro pode se basear pra definir o arrasto generico das antenas se as antenas são diferentes?
    Ele teria que conhecer as antenas no mercado, descobrir sei lá como o arrasto delas (Porque os fabricantes de antenas por mais que tenha engenheiros como proprietário raramente divulgam muitos dados técnicos, incentivam a ignorância divulgando apenas um resumo bobo tipo ganho nominal na frequencia nominal, angulo nominal, e dimensões aproximadas), e fazer o projeto já levando em conta a possibilidade FUTURA (Quem ouve cliente só faz besteira, se o cliente diz que vai usar antena de 50cm entenda que vai ser antena de 3m) das maiores antenas no mercado.

    Eu fico louco com isso, leva 5 minutos pra fazer um calculo de viabilidade de torre, e de previsão de equipto necessário pra torre, mas o que mais vejo aqui por perto é asno que vai e ergue a torre, e DEPOIS se preocupa com equipto. No caso das fazendas que são de investidores de fora (Alguns bancos tem, até banco frances e petroquimica japonesa tem fazenda aqui no fim do mundo) sempre trazem engenheiro pra essa parte, colocam a torre e só DEPOIS é que vão procurar os provedores locais pra definir que equipamento vai precisar e SE vai ter sinal (Geralmente não tem, engenheiro estrutural parece que é como leigo, acha que wifi é igual celular e pega sem visada).

    Mas não que eu ache que é tudo culpa de engenheiro, a culpa final é do cliente que chama eng. pra colocar torre de X altura sem saber direito que equipto vai colocar em cima, a culpa do engenheiro é apenas "fazer a parte dele" (Um mundo onde todo mundo "só faz a sua parte" é um mundo péssimo, é tipo orgão público onde ninguém é responsável por nada, tudo tem uma assinatura de instância superiora que autoriza ou desautoriza algo, e a culpa é dessa assinatura superiora (Muitas vezes fora do cargo a anos)).

    Eu diria que se é pra contratar alguém, contrate quem faça o serviço completo, que seja responsável pelo proj. da torre mas também pelo equipamento, boas empresas de telecom tem engenheiros e fazem o serviço completo, da base da torre até a configuração completa do equipto, empresas incompetentes fazem tudo pela metade, tá cheio de projeto abandonado no meio do caminho que alguém tem que pegar e ir terminar porque a empresa anterior não conseguiu (E geralmente você faz o calculo e o próprio calculo já diz que é impossível com o equipto adquirido).

    Esse negócio de separar a construção da torre com um profissional, e a escolha do equipto com outro, aqui no interior quase sempre dá errado quando a necessidade é de equipto grande.

    E devido as trocas de tecnologia essa parte de ferrugem interna de auto-portante acaba sendo irrelevante, em no máximo 10 anos o usuário acaba fazendo besteira tipo colocar parabolica 39dBi no alto de torre e derruba ela, a ferrugem é o menor dos problemas, não sei de NENHUM torre que tem o mesmo equipamento a 10 anos, que dirá a 20 ou 30 anos. A 20 anos era antena yagi grande pra telefonia rural, a 15 anos era antena de celular indo direto até celular, a 10 anos era antena 2,4GHz polarização simples, a 5 anos era antena de disco 5GHz polarização dupla, e a uns 2-3 anos começaram as antenas yagi menores em repetidores de celulares, daqui 2 ou 3 anos talvez comecem as CPE 802.11ac e os repetidores 4G (2600MHz, antena grande se for algo tipo 20dBi!), é muita ingenuidade achar que alguém vai gastar R$ 20 mil numa torre e usar o mesmo equipto defasado por 10-15 anos, equipamento se troca toda hora, procurar engenheiro pra ver arrasto é inviável financeiramente, é muuuuuuito mais simples fazer uma torre simplesmente resistente ao maior equipto possível hoje (Parabolicas de 2,4m), vai custar 20 - 30% mais caro na hora de fazer mas nunca vai ter problema quando trocar de equipto em 10 anos.



  3. Bem frisado, que:

    "E voce acerta mesmo com módulos de 3m. Módulos maiores só onde for fácil contratar um braço munk, ou guindaste.

    Logicamente que um projeto de engenheiro especializado é o ideal. Mas a realidade de muitos de nós é que:

    - não achamos este profissional.

    Além disso, já vi também torres da Brasil Telecom, com projeto e tudo cair vergonhosamente.

    A segurança do projeto é que se houver acidente, pelo menos há a documentação da responsabilidade técnica, coisa que no serralheiro normalmente não tem.

    Fora isso não vejo diferença. É só ir visitar algumas torres com projeto e ver os detalhes."

    Existem hoje, uma infinidade de desenhistas projetistas, que fazem a estrutura metálica sem aval do engenheiro mecânico.

    Outro dia fui em uma, que por sinal tinha tres projetistas no audocad e solid works, estes caras são bons, mas de engenheiro não tem, não existe e não querem, e em escritório com firma cadastrada na Junta Comercial, a uma quadra de um CREA de uma cidade, e penso que ou o CREA não sabe, ou não atuaram, por que se não tem registro no CREA com certeza ou é nova, ou é velha e ninguém sabe!

    Me acharam na internet, queriam que eu assumisse a autoria, cai fora, e também sabendo que eu não faço projetos deste tipo, passei a eles um outro desenhista projetista de um outro produto na mecânica industrial, quem eu conheci há uns dois anos atrás e é fera em estruturas metálicas para empresas transportadoras de materiais, ai meus caros os autores de estruturas metálicas no Brasil são em sua essência, sem margens de dúvidas:

    - os desenhistas projetistas.

    Quando um engenheiro avalia e assina o projeto, mas não pode assinar projeto, só se tiver número de registro no INPI - Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

    Deste modo não existe no Brasil, engenheiro mecânico autor de projeto, por que tu saberá se ele te apresentar o número de registro no INPI, que detém autoria de algum desenho de projeto, dele como o autor do projeto, mas como dito de novo:

    - o dono da torre é quem é o autor do projeto!

    Por que ele tem a posse e o dominio do produto, mas não tem registro no INPI, é um autor do projeto disfarçado e é não é, e não tem registro para provar, então deve ser autuado no caso de um acidente, mas se ele tiver registro no INPI, beleza ele é o autor do projeto e não o engenheiro.

    Assim esta história de autor de projeto é uma polêmica, que no Brasil tem que ser avaliado bem quem realmente seja o autor de algo.

    Conselho: quem tem torre vá ao INPI e, registre seu direito autoral!

    Deste modo vale a assertiva, de que não se acham um engenheiro especialista.

    Estes não assumem responsabilidades de projeto, com raras exceções podem existir, mas quem são?

    Apenas assinam o desenho do projeto (forma representativa de um projeto com vias em duas dimensões de acordo com as normas da Telebrás).

    Como já dito, o engenheiro não sendo o autor do projeto, que no caso o autor do projeto é o desenhista projetista quem assina no desenho a autoria do fato por ele executado, em base de algum estudo por parte de alguém e de quem já está no mercado com experiências passa a ele, o bisu da semente daquele projeto (chupam de tudo).

    E, como tudo se origina de quem não sabe o que diz, e vem aqui jogar a culpa no engenheiro, tá ai provado que não se acham engenheiro especializado, existir existe, mas neste campo não querem trabalhar com torres por que o povo chupa desenhos, copiam e fazem por que outro disse que é assim, e vai na experiência de cada um, ai quando dá meleca a culpa é do outro, isto é fácil fazer, jogar a culpa em outros, menos nele quem fez de forma leviana e não sabe, por que não é formado na área de mecânica, como pode conhecer o comportamento do metal, se não estudou para isto.

    Ai, vem o drama contratar um engenheiro especialista que irá fazer a memória de cálculo, ninguém pede e não querem, por que custa muito caro, ai o engenheiro iria assumir a autoria, mas de comum acordo com o dono da torre, quem não aceita no INPI dividir o bolo com o engenheiro, e assumi no INPI ser o autor do projeto, por que no INPI se tem que pagar inscrição, mensalidade e todos que irão aprovar teu registro de patente de invenção ou de outros tipos, para ter posse e dominio da idéia, que muitos chupam dos outros, ai alguém paga "royalties" para alguém (vamos rir, nunca soube disto).

    Estes desenhos que circulam no mundo google, existe autoria (!), mas quem é o autor destes desenhos? Alguém que nunca apareceu, um dia pode chegar em voce e ver que tem uma torre igualzinha ao desenho do projeto e, tu irá ter que pagar o mico, o jacaré, o pato para alguém que resolveu sair do armário!!!!!

    O fato pior é isto de muitos desenhistas projetistas, que não possuem formação técnica, mas são expert em autocad e solid works, e não precisam de registro no CREA, mas se trabalham com projeto de estruturas metálicas, cadê o povo do CREA, para exigir deste povo que se registrem?

    Cabe ai denunciar, mas quem denuncia alguém neste planeta? Ninguém tem a ousadia de denunciar ninguém, é mais fácil falar que tem um engenheiro autor, tá então tem que provar que ele é o detentor e tem número de registro no INPI.

    Agora a pergunta derradeira:

    - Quem de todos já contratou um técnico, que efetua medições de ultrassom?

    Este técnico cobra uma grana preta para fazer medições em tubos em torres telecom.

    Que eu saiba nunca soube ou ninguém nunca falou que contratou um!

    Como saber que o tubo tá fino e grosso dentro, que teve nas extremidades amassamento e soldagem, ai mora o perigo, sem saber chutam como se tivesse um olho dentro do tubo (kkkkk).

    O correto meus caros é contratarem um técnico que faz esta medição, ai saberão como tá por dentro de um tubo.

    Isto em manutenção corretiva, preventiva e preditiva é o correto, contratar um engenheiro mecânico que irá orientar o técnico em medições de ultrassom, para efetuar as medições e depois tem mais a técnica de medições com particulas magnéticas, para saber se nas soldas de quaisquer torres (fissuras e trincas), e das que são aparafusadas, se o montador usou o torquimetro, se não usou apertou no zóio da mão quanto aguenta torcer a porca - um abraço: o cizalhamento é fato do parafuso, ou dos tubos amassados, e nem galvanização aguenta uma torção dos diabos, sem uso de torquimentro, mesmo com este instrumento deixa a desejar, por que sem arruelas então um abraço, a arruela é para este fim, evitar a torção por roçamento e ocorrer raspagem da superficie do metal.

    Contratem um engenheiro de materiais, quem possa supervisionar um técnico, que irá fazer medições por ultrassom, e de particulas magnéticas põe ai por torre um valor deste profissional (bem ai vai ter que pesquisar quem faça este trabalho, se achar kkkkk).

    Um técnico destes trabalha só em empresas de grande porte, se achar que ele vai subir em torres, tu vai ter que baixar ela, para ele poder fazer os testes. Se acha que ele vai subir na torre. kkkkkkkkkkkkk

    Assim, tubos meu caro é isto ai, quem inventa tem que investir no que pretende comprar, ou recebe gato por lebre e, um dia a coisa despenca, mata um e, de quem é a culpa: do dono da torre?

    Não tem engenheiro que assume não, isto de dizer que o engenheiro é o culpado, se tem que provar e quem vai provar para voce serão os peritos da Policia Cientifica, ai se tá lascado, quem será o responsável? O desenhista projetista, o dono da torre, o montador, e por fim alguém, menos o engenheiro por via de regra tá ai provado:

    - Logicamente que um projeto de engenheiro especializado é o ideal. Mas a realidade de muitos de nós é que não achamos este profissional.

    Bom final de semana, assim meus caros antes de aprontarem uma, se dirigiam ao CREA e lá poderão se informar de alguma empresa fantasma, se ela não está registrada no CREA caia fora, por que se vai entrar por dentro do tubo, e vai sair um rolete. kkkkkkkk

    Conheço fabricantes no Brasil, que estão registrados nos CREA´s e possuem engenheiros para este tipo de trabalho, e até de técnico de medições, como aqui citado, porém suas torres são dignas de um projeto perfeito, mas quem ousa comprar deles, tem que ter agulha na bala, se é um particular e vai construir a sua, contrate um engenheiro, se achar, e depois técnicos para medir sua torre de tubos, e será feliz e nunca tua torre ficará na dúvida, ou no incerto e uma pulga atrás da oréia (quando ela vai dar um problemão).

  4. @TreiscBr Tá precisando comer mais feijão, dá pra erguer modulo de 6m na mão! :-)

    Aqui se usa arara de 7,5m, com carretilha em cima, modulo de torre estaiada se ergue só com 1 pessoa em cima e 1 em baixo, e acredite, eles PREFEREM modulo de 6m, porque ergue menos módulos (É menos parafuso pra colocar também). Autoportante de até 18m não é muito mais pesada e também dá pra erguer sozinho, pra modulo maior de torre de 40m aí realmente precisa 2 pessoas em baixo.
    (Arara pra torre simples nem é tão pesada ou grossa, tubo 1,5", já pra auto-sustentada grande precisa um tubo quadrado de aço, chapa 1/8 praticamente, o maior trabalho é subir ela, mas subir os modulos por ela depois é até fácil)

    Esse negocio de erguer puxando com carro ou trator já deu muuuuuito acidente aqui, é tanta força que quebra mosquetão ou dobra a base, com um humano fazendo força se verifica melhor se está mais pesado que devia, um motor não tem essa sensibilidade e de todos os acidentes que sei nas vizinhanças TODOS foram com veículo puxando corda pra erguer modulo.

    (Eu também não como muito feijão então só poderia usar meu peso pra erguer esses modulos, não sei se conseguiria, mas montador de torre por aqui prefere modulo de 6m, quando tem de 2 ou 3m eles parafusam de 2 em 2 ou de 3 em 3 no chão, e depois sobem um conjunto que dá 6m igual)

    Eu hoje dou toda razão pra construção de modulos de 6m, é o tamanho dos tubos, cantoneiras ou chapas que tem prontas no mercado, acelera bastante o processo de fabricação, ao invez de gastar com mais emendas você gasta com mais anti-torção e no fim das contas acho que a segurança é até maior.

    (Subir uma arara de 7,5m, de ferro grosso, pro alto de uma torre de 60m cansa? Mais ou menos, sobe uma pessoa e pendura uma roldana comum no alto, aí por ela sobe a arara, não é pesado fazer isso, é só usar o cerebro ao invez dos músculos, e olha que montador de antena nem sempre é bom de cerebro :-)



  5. Acredito que modulos de 6 metros não seja o problema tbem, mas alguem entre os amigo mais experientes, poderia dar palpites sobre os projetos que mencionei e o que poderia ser usado e na boa mesmo sem essa de eu não sou engenheiro e não sei o que usar, pelo geito aqui tem gente sim que pode contribuir com tais informações e ajudaria muito provedor pequeno e meio porte.






Tópicos Similares

  1. Livro de Tecnlogia e em Torres Telecom!!!
    Por TreiscBr no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 0
    Último Post: 26-05-2016, 06:15
  2. Segurança de Torres Telecom, sua fundação em 2015!
    Por TreiscBr no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 2
    Último Post: 08-03-2015, 20:01
  3. Segurança em Torres Estaiadas
    Por ricsabreu no fórum Redes
    Respostas: 92
    Último Post: 17-04-2013, 09:43
  4. Ponto de acesso em torre de rádio AM
    Por marcelomg no fórum Redes
    Respostas: 9
    Último Post: 08-04-2006, 00:08
  5. Respostas: 3
    Último Post: 29-03-2005, 15:51

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L