+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão me ajudem

    boa noite

    atualmente tenho um ponto a ponto de LOCOM5 a uma distancia de 1.2km. passando 5mb full.
    porem quero fazer a troca do LOCOM5 q esta como acess point para algum outro aparelho mais forte.

    qual vocês me indicam??
    pensei no NANOBEAM 5.8 25DBI porem ta um pouco fora de mão pra mim, preço mt alto 547 reais.

  2. #2

    Padrão Re: me ajudem

    com relaçao a distancia.... e a quantidade de banda...um par de SXT lite 5GHZ



  3. #3

    Padrão Re: me ajudem

    vai depender muito de quanto quer passar de banda. Lembrando que se no datarates chega a 150mbps por exemplo, na prática não significa que ele irá passar isso. Sempre passa menos.

    Agora, nanoloco não é equipamento para ptp. Ele abre muito, 60º. Você estaria jogando fora irradiação.
    SXT como indicado pode melhorar bastante, pois ele abre 30º. Mas pelos gráficos de irradiação no site da Mikrotik, estes 30º são ilusórios. Abre muito mais.. 30º seria só lá no ponto mais distante...enquanto que em áreas mais próximas abre muito, bem mais que 90º.
    Então apesar de dar bons resultados para um ptp mediano, imaginem a carga de irradiação jogada no espectro do 5.x...

    O Nanobeam já tem um gráfico de irradiação um pouco mais consistente, mas se analisarem ele também abrem razoavelmente bem...

    O gozado nestes dois fabricantes é que nenhum deles é específico nos datasheet em fazer referencia a angulo de abertura.

    Equipamento ideal para ponto a ponto precisa abrir no máximo 5 a 8º. Se todo mundo obedecesse este princípio a coisa ficaria muito melhor em 5.8. Mas cada um pensa no custo x benefício e acaba optando pelo mais barato.
    Prá que usar um nanobeam que custa quase 600 se pode usar um sxt que custa menos de 300... esta está sendo a lógica de todos nós.

    Outro ponto a considerar é a questão que você levantou "outro aparelho mais forte".. cuidado com potencia. Não é potencia que melhora uma conexão... mas sim atingir um SNR mais alto. Se segura a potencia em valores baixos e melhora apontamento, usa equipamento de angulo de abertura baixo, o SNR vai ser mais alto. Enquanto que se usa alta potencia e equipamento que abre 60º o resultado nunca será o mesmo...

  4. #4

    Padrão Re: me ajudem

    É muito pouco informação para sugerir qualquer coisa, porem o SXT 5 Lite tem melhor processamento e custam o mesmo. Nesse seu link deveria estar passando pelo menos 15-20 Mbps.



  5. #5

    Padrão Re: me ajudem

    1929, nao entendi sua colocação de que os fabricantes nao são especificos respeito do angulo de apertura. Todos eles publicam seus graficos em coordenadas polares onde pode observar o ANGULO IRRADIAÇÃO de -3dB . Por definição se utiliza o angulo onde o sinal irradiado cai 3dB respeito do maximo.
    Se consultar o Datasheet do LOCO M5 , pag 11, vera um quador com Antenna Information , Beamwidth = 43° (H-pol) / 41° (V-pol) / 15° (Elevation) Essa é a informação da largura do feixe de irradiação.


    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    vai depender muito de quanto quer passar de banda. Lembrando que se no datarates chega a 150mbps por exemplo, na prática não significa que ele irá passar isso. Sempre passa menos.

    Agora, nanoloco não é equipamento para ptp. Ele abre muito, 60º. Você estaria jogando fora irradiação.
    SXT como indicado pode melhorar bastante, pois ele abre 30º. Mas pelos gráficos de irradiação no site da Mikrotik, estes 30º são ilusórios. Abre muito mais.. 30º seria só lá no ponto mais distante...enquanto que em áreas mais próximas abre muito, bem mais que 90º.
    Então apesar de dar bons resultados para um ptp mediano, imaginem a carga de irradiação jogada no espectro do 5.x...

    O Nanobeam já tem um gráfico de irradiação um pouco mais consistente, mas se analisarem ele também abrem razoavelmente bem...

    O gozado nestes dois fabricantes é que nenhum deles é específico nos datasheet em fazer referencia a angulo de abertura.

    Equipamento ideal para ponto a ponto precisa abrir no máximo 5 a 8º. Se todo mundo obedecesse este princípio a coisa ficaria muito melhor em 5.8. Mas cada um pensa no custo x benefício e acaba optando pelo mais barato.
    Prá que usar um nanobeam que custa quase 600 se pode usar um sxt que custa menos de 300... esta está sendo a lógica de todos nós.

    Outro ponto a considerar é a questão que você levantou "outro aparelho mais forte".. cuidado com potencia. Não é potencia que melhora uma conexão... mas sim atingir um SNR mais alto. Se segura a potencia em valores baixos e melhora apontamento, usa equipamento de angulo de abertura baixo, o SNR vai ser mais alto. Enquanto que se usa alta potencia e equipamento que abre 60º o resultado nunca será o mesmo...

  6. #6

    Padrão Re: me ajudem

    No caso do NanoBeam e PowerBeam não tem mais angulo de abertura do datasheet normal do site, sumiu a informação, não se divulga mais.

    E em setoriais 120° anda comum a merda de usar o angulo nominal (117 a 128°) com na verdade -6dBi.
    Ou seja, tá cheio de setorial 120° que perto do fim do angulo de abertura tem só 25% da potencia irradiada no centro!
    Aí o cliente no centro tem sinal 6dBm maior na mesma distancia, e você se descabela procurando chifre em cabeça de cavalo na zona de fresnel (6dBm de digamos -76 pra -70dBm é a diferença entre cliente ter conexão boa e ter conexão lixo).


    No caso do Nanobeam é ainda pior porque além de faltar angulo a meia ou que seja a 1/4 de potência, tem um downtilt natural da antena, o ponto de maior ganho está a uns 3 ou 4° abaixo da linha do horizonte!
    Tudo bem que a diferença com relação ao ganho a 90° do mastro seria digamos 1dBi, mas o problema é: Elas pegam em cheio sinais vindos de casas abaixo.

    E esse é o problema de PTP com antena tão aberta tipo 30 ou 60° (NS não nasceu pra PTP, fala sério), você analiza o uso de canais numa setorial aberta de 60° e encontra quase todo canal em uso, faz o mesmo usando uma grade ou disco com apenas 5 a 10° de abertura e voilá, surgem meia duzia de canais sem uso. Estão sem uso mesmo? Não, eles até são usados, mas chegam fora do angulo de maior ganho por isso não tem ganho na antena e eles chegam no ADC com sinal tão baixo que não são legíveis, são ignorados, não são tratados pelo mixer e cia, não ocupam processamento pra descartar eles.

    (E o ápice disso é radome em PTP distante, em área urbana as vezes um radome onde nem parece ter ruído melhor o throughput em 20%)

    O problema nessas antenas abertas (45° ou 60°, ou mesmo 30°) não é o que você escaneia de SSID, mas o uso do canal. Um cliente não envia SSID, se você apontar uma antena pra uma CPE de cliente (Que emite em 60°) não vai escanear SSID nenhum, mas se ver a ocupação do canal apontado pra ele, vai ver uma ocupação alta. Problema é que tá cheio de cliente de provedor via wifi, acho que pra cada setorial como AP tem 50 clientes, cada cliente num ponto, cada cliente com uma setorial de 60° (Mania de usar Nanostation...), e mesmo que a setorial esteja de "costas" pra você e bem longe, ela usa o canal X e as CPE's respondem nele, as CPE's tem antena tão aberta que o sinal delas chega na setorial mas também vai pra quilometros pro lado dessa setorial.

    Simplesmente anda impossível fazer reaproveitamento de canais em wifi, tudo culpa de CPE's abertas demais, e o problema é que você mede uso de canal agora e tudo parece lindo, mas em meia hora o cliente liga outra setorial (E outro desliga, limpando outro canal na vizinhança) e suja o canal que você usa no PTP, aí desgraçou tudo.

    E esse problema em PTP tem que ser medido nos 2 lados, atendo muito um distrito industrial perto da cidade e esse problema é enorme lá, channel usage de um lado indica 5745MHz limpo, mas no outro lado esse canal é o MAIS usado pelo MESMO channel usage, e dependendo do horário (Fora do horário comercial) metade dos canais estão limpos (Channel usage mal acha algo), e noutros horários (Quando um monte de MALDITAS CPE's de 60°) são ligadas e trafegam dados) o mesmo channel usage no mesmo equipto mostra todos os canais sujos.

    (Se fossem mudar de canal ok, seria só deixar o canal em AUTO que teoricamente o software acharia o menos ruim, mas... é questão de uso, em horário comercial todo o espectro está sujo, channel em auto não faz o milagre de limpar os canais)

    Enfim, tem motivos muito bons pra NÃO usar nada aberto tipo Nanostation, e usar só antena o mais fechada possível, Nanobeam 16 e 19dBi estão longe do ideal mas tem a -3dBi (Meia-potência) algo tipo menos de 20º de abertura, tá bom.
    Mas bom mesmo seria PowerBeam com seus 2 ou 3° a meia-potencia, e eles lá pelos 15° de abertura tem ganho tipo -10dBi (Enquanto NS nesse angulo tem 11 ou 12dBi, é uma diferença geral de 21 ou 22dBm num sinal de CPE nas vizinhanças).

    Eu cai muito nessa besteira de colocar CPE em PTP curto mas já colho os problemas disso, num distrito a 2-4Km é tanto mini-ptp que sumiram os canais vazios, escaneando SSID tem só 4 ou 5 canais em uso, mas no channel usage todos estão em uso nuns horários, e realmente o desempenho em todos os canais nesses horários virou um lixo, a 4 anos qualquer NS Loco M5 entregava fácil 10Mbps nessa distancia, hoje ele sofre pra entregar um mísero ping de 512 bytes, com o mesmo nível de sinal e SNR (E o SNR é alto porque sinal "legítimo" de outra CPE não entra como ruído, é pacote analizado e descartado (E isso consome processamento) mas não é ruído, a solução tem sido trocar no lado mais poluído algo tipo NS 16dBi por Nanobeam 19dBi, os 3dBm a mais de sinal não fazem diferença, a diferença vem do angulo mais fechado, num mundo com todos os canais em uso quanto mais estreita a largura da antena, mais canais pouco poluídos terá.

    (Ou, quanto mais aberta a antena, mais vizinhos terão potencial pra chegar num angulo de alto ganho)

    Ando pensando seriamente em encomendar uns perfil de construção em U de aço, chapa 16 (1,5mm), pra cortar pedaços de uns 20-30cm e colocar os NS e NS Loco dentro, pra ver se parar de sofrer tanto com sinal de vizinhança, só não testei isso porque ferro aqui só se vende em barras de 6m, se não prestar eu vou ficar com mais um elefante branco do quintal (Já tenho umas duzias de perfis e tubos sem uso...)
    http://perfinaco.com.br/wp-content/u...es-calculo.jpg



  7. #7

    Padrão Re: me ajudem

    Citação Postado originalmente por emilidani Ver Post
    1929, nao entendi sua colocação de que os fabricantes nao são especificos respeito do angulo de apertura. Todos eles publicam seus graficos em coordenadas polares onde pode observar o ANGULO IRRADIAÇÃO de -3dB . Por definição se utiliza o angulo onde o sinal irradiado cai 3dB respeito do maximo.
    Se consultar o Datasheet do LOCO M5 , pag 11, vera um quador com Antenna Information , Beamwidth = 43° (H-pol) / 41° (V-pol) / 15° (Elevation) Essa é a informação da largura do feixe de irradiação.
    Quando me referi a não serem claros nas informações é que eles não dizem mais nas especificações. Só quem vê os gráficos é que vai ter uma noção do quanto abre ou não abre... e normalmente o povo novo que está chegando na área não tem olhado isso, com algumas exceções.

    Faço minhas as palavras do @rubem.