+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Problema com as condições do tempo

    Boa noite,

    Tenho um provedor no oeste de santa Catarina e venho sofrendo muito com a queima de equipamenos devido às condições do tempo. Equipamento travando, porta lan queimando, dificuldade em conter os prejuízos com os raios, enfim, uma série de problemas.

    Na opinião é experiências dos colegas como poderia diminuir minha dor de cabeça com relação a esse assunto?

    Obrigado e tenham uma ótima semana.

  2. #2

    Padrão

    Citação Postado originalmente por dionialves Ver Post
    Boa noite,

    Tenho um provedor no oeste de santa Catarina e venho sofrendo muito com a queima de equipamenos devido às condições do tempo. Equipamento travando, porta lan queimando, dificuldade em conter os prejuízos com os raios, enfim, uma série de problemas.

    Na opinião é experiências dos colegas como poderia diminuir minha dor de cabeça com relação a esse assunto?

    Obrigado e tenham uma ótima semana.
    Aterramento.... muito aterramento... de preferencia isole seu sistema da rede eletrica. Os raios são preguiçosos... Eles procuram o caminho mais fácil e curto até a terra e se isso incluir passar por torres, antenas, rockets, MKs, eles irão passar.... detonando tudo no caminho... Então nossa função e fornecer um caminho fácil para os raios... Que não incluam o equipamento é claro!!!!

    Use clamper para aterrar o fase da rede eletrica, use protetor Ubnt nos cabos lan. Use protetor a gas nos pig tails. Projete um bom pára raios na torre, tomando cuidado para isolar o cabo de descida do para raios da estrutura metálica da torre e nunca coloque as antenas no ponto mais alto da torre. (O ponto mais alto deve ser o franklin do para raio). Isole todos os conectores metalicos (conectores N e SMA) com fita de auto fusão 3M. Não use a mesma barra de aterramento pra tudo, separe os aterramentos em algumas barras e distancie a barra de aterramento do para raios em no minimo 5 metros das outras barras para evitar uma possivel realimentacao de uma descarga de um raio.
    Eu projetei um caminho de descida do cabo do para raios que consiste em um tubo metálico (isolado da torre) , dentro desse tubo um outro tubo plastico (daqueles de instalacao eletrica) e o cabo passa por dentro disso tudo.... Essa combinação forma uma isolação tipo "gaiola de faraday" que impede que o raio desvie seu caminho na estrutura do para raio para a torre.

    Boa sorte!



  3. #3

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    Poderia descrever como está fazendo hoje?

  4. #4

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    de tudo isso que o amigo disse use duas faze 110v ou seja 220v na sua rede e coloque um transformador isolador 220x220v com aterramento,, aterramento se nao me engano tem que ficar abaixo de 5 ohms e coloque protetores de surto aterrados..



  5. #5

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    Olha, tenho provedor em 4 cidades do extremo sul de Goiás e MS. Já queimei tudo quanto é tipo de equipamento. Aterrado, sem aterramento. Nobreak tenho sala cheia queimado. Única alternativa foi trabalhar com energia DC. Carregadores inteligentes, baterias e mais bateria, Energia Solar, controladores de carga e muito monitoramento. Não tive mais problema. Agora nos clientes, se for aterrar algo, o cliente não vai querer custear, se for comodato então, ninguém da conta.

  6. #6

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    Aterramento bom e muita sorte amigo. O terreno julga muito! Tenho torre que já desceu raio e não queimou nada, já outra que não pode falar "raio" perto que sai queimando td... kkkk



  7. #7
    Avatar de Nilton Nakao
    Ingresso
    Sep 2013
    Localização
    Carlos Chagas, Minas Gerais
    Posts
    907

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    Dou assistência em uma torre de 36 metros, torre aterrada com para-raio fixo a ele, racks, bastidotes tudo aterrado. A queima é relativamente baixo, alocada a 4 provedores diferentes e mais 50 telefones rurais. Mais da metade da queima, provém da rede elétrica, que num surto causa uma indução a fio de telefone, cabo coaxial, cabo de rede(PTP) etc. Pode parecer surreal, mas manter lampada incandescente acesa na torre minimiza a queima dos equipamentos( tomar cuidado, que pode ter acréscimo de R$ 30,00 no mínimo). Difícil é achar elas, conforme o local.

  8. #8

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    amigo para que isso diminua bastante coloca energia solar e isola os equipamentos da torre com cano pvc o raio cai e passa pela torre nao tem nada nela ta tudo isolado nao queima e a energia e solar nao passa nada energia da celg cai raio la loge e vem pela rede eletrica e torra tudo



  9. #9

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    Citação Postado originalmente por fabiocosta Ver Post
    amigo para que isso diminua bastante coloca energia solar e isola os equipamentos da torre com cano pvc o raio cai e passa pela torre nao tem nada nela ta tudo isolado nao queima e a energia e solar nao passa nada energia da celg cai raio la loge e vem pela rede eletrica e torra tudo
    Qual região de Goiás?

  10. #10

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    Bom dia,

    já pensou em investir em rede FTTH? Além de não se preocupar com esse tipo de problema, poderá oferecer planos melhores para seus clientes e reduzir seus custos fixos devido à pouca manutenção necessária. O investimento é recuperado em pouco tempo!
    Trabalho em uma empresa que confecciona e executa projetos de redes FTTH. Caso deseje tirar alguma dúvida sobre o assunto ou fazer um orçamento de uma região de interesse, é só entrar em contato. Seguem meus contatos:

    Arthur Catelani
    Analista de Projetos
    [email protected]
    +55 22 99612-2006
    Skype: arthur.catelani1
    Última edição por arthurcatelani; 18-11-2015 às 11:24. Razão: Formatação



  11. #11

    Padrão

    Bem por ai...a 2 anos caiu raio em uma torre e queimou somente a entrada da fonte de 24 V e 7a da Volt...ficou funcionando na bateria normalmente...não queimou nada de equipamentos do tipo radio...a torre somente a TORRE ATERRADA...todas as outras minhas são assim e dificilmente tem problema....porem a menos de 10 dias uma que tinha montado e estava AINDA sem aterramento...raio bateu proximo e queimou tudo...prejuizo de 4 mil de equipamentos. Porem ja aterrei...

    Pessoal tem monte de proteção e coisas ai...uma vez um Eng.Eletrico bem conhecido em Curitiba por sistemas de proteção e projetos nesse setor...me disse que não era para eu colocar nenhum para-raio e sim aterrar a torre quem onde ele bata-se iria descarregar e não iria queimar nada...pois bem onde estava aterrado e bateu raio...so queimou a entrada da fonte conforme eu falei...sei lá acho que excesso atrapalha.

    Citação Postado originalmente por Carlosaps Ver Post
    Aterramento bom e muita sorte amigo. O terreno julga muito! Tenho torre que já desceu raio e não queimou nada, já outra que não pode falar "raio" perto que sai queimando td... kkkk

  12. #12

    Padrão Re: Problema com as condições do tempo

    O ponto que se rompe é o mais frágil.

    Em fonte chaveada no chão, com equipto no alto da torre, ví várias vezes queimar a entrada da fonte, diodos em curto, mosfet aberto, nada de varistor estourado (Porque varistor é lerdo, leva 50x mais tempo que um centelhador pra absorver algo, descarga rápida passa reto por varistor). Simplesmente é a parte mais frágil da coisa. Nesse caso DR+DPS resolve.

    Quando o problema vem pela linha telefônica (Que não é aterrada, só na central, que fica longe), o jeito é protetor pra linha telefônica, com centelhador ou varistor rumo a um aterramento.

    Quando o problema vem pela rede elétrica (Raio direto nelas é tão raro, e o neutro é aterrado nos transformadores. E mesmo que use fase + fase há aterramento no transformador, qualquer diferença de potencia percorre esse caminho até o solo igual), dr + dps + aterramento, ou transformador isolador + aterramento.

    Quando o problema é indução de alta tensão na fiação própria (Queima as lan nos 2 lados de um cabo de 40m, já tive isso algumas vezes, queima 1 (UMA) porta do switch e 1 (UMA) porta da RB, as 2 portas que estavam no MESMO cabo, e era o cabo mais longo, isso em sistema SOLAR (Quero vez dizer baboseiras tipo "Raio vem sempre pela rede elétrica, põe estabilizador da SMS que resolve"), ou seja, duplo isomento (Ethernet é isolado, não há ligação entre ethernet e o gnd dos equipamentos)), aí usar cabo ethernet blindado ajuda (Mas tem que aterrar ele), também tem protetor de surto pra usar (Mas tem que aterrar eles). Ou pode simplesmente diminuir o numero de cabos longos, questão de posicionar melhor os equipamentos pra ter menos cabos, ao inves de subir 4 cabos de 40m até o alto da torre e deixar o switch no chão, sobe só 1, blindado, e coloca protetor de surto nele (1 par de protetores é 4x mais barato que 4 pares), e liga cabos curtos lá no alto, cabo curto tem chance menor de induzir algo.


    Não dá pra dizer certinho qual o problema de cada um.
    Mas dá pra falar no que PODE acontecer.

    Exemplo, aterramento simples em 2 equiptos.
    Tem um micro na frente, ligado numa barra aterrada simples. Tem um micro nos fundos, ligado noutra barra aterrada.
    Se você ligar 2 barras distantes você mede tensão entre elas, usa como eletrodos pra captar audio (Põe 2 barras distantes e liga um amplificador de audio nelas, faz o teste. Ou liga um transmissor SW pra testar, transmissão vai terra).
    Se um caio cair por perto, o campo eletromagnético vai passar entre as 2 barras, e vai gerar diferença de potencial entre elas. Se for grande demais, a tendência é elas tentarem se equalizar, vão tentar percorrer algum caminho fácil de uma até outra. Se for tensão tão alta a ponto de pular do GND pro cabo ethernet, pula em uma e pula em outro, queima no mínimo as 2 lan nos 2 pontos, simplesmente porque era uma parte frágil demais pra servir de condutor.
    É quando estoura os capacitores de desacoplamento entre o trafo da lan e o gnd do equipto:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         DSC03809.JPG
Visualizações:	36
Tamanho: 	90,4 KB
ID:      	61744


    Ou seja, não é uma boa ter aterramentos isolados entre sí.

    Assim como existe diferença de potencial entre nuvens (Raio de uma pra outra), também existe entre diferentes pontos da terra. É mais comum em nuvens porque ar esfregando partícula cria estática fácil... no ar. Se a terra ficasse se movendo o tempo todo teríamos raios de um ponto do outro pra terra.

    (Esfrega um balão do cabelo, cria estática por atrito. Poeira ou umidade se esfregando no ar (Ou esfregando a terra) cria o mesmo)

    Antigamente, antes de ethernet ser comum, com RS232 ou RS485 tinhamos esse problema, mas eles não eram isolados (Ethernet é), tinhamos que levar o cabo de dados seriais, e PARALELO a ele um cabo ligando as carcaças dos equiptos, porque era normal em 50m de empresa encontrar diferença de tensão nas carcaças tipo 30V em dias normais! (Imagina como seria em dias de pico de diferença de potencial)

    Tem situações que descarga pela linha telefonica queima nobreak, e... nobreak desligado!
    Falo daqueles nobreaks com protetor RJ11, ele vai pro mesmo aterramento da carcaça no nobreak, se ele não tem aterramento já ví ele pular (Pular, já que o nobreak estava desligado) pro circuito e queimar um nobreak desligado (Mas chave desligada não garante nada, o circuito de carregamento da bateria continua ligado, teria que tirar da tomada).

    O aterramento só faz muito efeito quando tem em todo ponto sensível um centelhador, que em caso de alta tensão conduza isso pra terra (Senão a tensão vai passar pelo circuito sensível). Ou seja, precisa ter fiação grossa e curta rumo ao aterramento, ele deve ser o caminho mais fácil até a terra.

    (E aterramento baixo, tipo menos de 5 ohms, é algo pra descarga direta, mal não faz, mas um aterramento simples já diminui muito o prejuízo, descarga boba pela linha telefonica, ou induzida na própria fiação, um aterramento simples de uns 2-10m de material em terra úmida, resolve)

    Tem descarga aqui na zona rural em rede elétrica queimando transformador de 10 a 20KVA, se esse equipto não aguenta, então um DR+DPS+Aterramento de 10 astes que dá 5 ohms, vai resolver menos ainda! (Transformador grande tem aterramento enorme!)
    Nesses casos eu colocaria (Recomendo nas fazendas, a maioria é cabeça-dura e prefere queimar meio mundo de coisas porque confia em lixos pra trouxas tipo estabilizador SMS de R$ 60) auto-transformador, com proteção posterior e SEM aterramento nesse equipto posterior. Mas isso é caso de fazenda, onde tem fiação eletrica exposta por 10 a 50Km, acima das árvores, ou seja, é ela quem sempre recebe os raios. Em área urbana não ví isso ainda (E olha que aqui é cidade pequena, densidade baixa, solo de condutividade ruim então demora pra eventuais descargas se dissiparem).

    Enfim, tem vários tipos de protetores no mercado porque tem vários problemas, cada um tem que ver se tem muito modem adsl ou vdsl/sdsl queimando, se tem muito problema pela rede elétrica (Tem que abrir nobreak queimado, lixinhos baratos tipo SMS geralmente queimam varistor na SAÍDA porque o equipto lixo aciona tap errado de transformandor mandando tensão alta em rede ok (Ví isso algumas vezes, nobreak desligando por problema em bateria, você insiste aí uma hora dá um estouro, é só abrir e ver varistor DE SAIDA estourado, não tem relação com problema na entrada necessariamente)), se tem muita lan queimada por indução na fiação, sem tem muita queima de amplificador/perda de potência (Por falta de aterrar antena, ou por ter cabo longo ou enrolado se comportando como indutor), esses problemas vão variar conforme o sistema elétrico da região (Pessoal que usa fase+fase merece sofrer), conforme o tipo de solo (Solo com mais hematita terá resistencia menor, mas pode ter areia ou rocha pra todo lado e ter um canto com afloramento de hematita, esse ponto é perfeito pra aterramento mas deve ter mais descargas por perto dele, não sei bem que ação tomar se descobrir ser esse o solo de cada, mas o comportamento das descargas conforme o tipo de solo muda, a forma de proteção também deve ser um pouco diferente.

    (A proteção formal teórica é a mesma, um aterramento gigante com para-raios gigante (Pra mim ter menos de 3 ohms precisa quase 100 hastes, ou tratamento com gel, R$ 30 a 45 mil pra uma mísera torre de 30m, inaplicável). Mas o "mínimo aplicável" pra ter poucas queimas varia muito conforme esse detalhes, o "mínimo" pra mim (Solo arenoso de condutividade ruim, rede elétrica bem aterrada nos transformadores) é protetores de surto (Em rj11, rj45, e cabos de RF) com aterramento simples, custo tipo 1% da proteção "profissional". Mas onde tem rede elétrica ruim (fase+fase), ou solo de condutividade maior, duvido que só isso resolva)