+ Responder ao Tópico




  1. De acordo com o projeto, mais três ônibus serão lançados nas próximas semanas Com objetivo de aproximar a população carente à tecnologia de informação digital, a Prefeitura de Cascavel, através da Assessoria de Assuntos Comunitários (Aacom) e Secretaria de Educação (Semed), e a Fundação Assis Gurgacz lançaram hoje (12) o "Projeto Piloto de Inclusão Digital", em ato solene realizado na Escola Municipal Maria Tereza Abreu de Figueiredo, Bairro Santa Cruz. Lísias Tomé disse que está feliz por ver que existem instituições e empresas que "querem fazer o bem às pessoas mais carentes de uma maneira voluntária" e que procuram a Prefeitura para firmar parcerias. "Este é um projeto que está avançando na questão da informática e da inclusão digital para crianças e pessoas que sem isso não teriam oportunidade de aprender", reforçou.

    O empresário Assis Gurgacz disse que nas próximas semanas serão lançados mais três ônibus que estarão à disposição para as pessoas em outros bairros. Ele lembrou que a Fundação disponibiliza atendimento a pessoas carentes em diversas áreas, na sede da Faculdade Assis Gurgacz (FAG). O diretor de Assuntos Comunitários, Madson de Oliveira lembrou que a atual administração está trabalhando para melhorar a vida das pessoas que mais precisam, "ajudando-as e inserindo-as no mercado de trabalho".

    O vereador Júlio César Leme da Silva parabenizou os parceiros pelo projeto "que se insere dentro do que há de mais moderno na área digital". A coordenadora da escola, Marlene Aparecida Pam, e o presidente da Associação de Moradores, Sebastião A. de Oliveira, agradeceram os parceiros pela implantação do projeto. Projeto - O Projeto Piloto de Inclusão Digital funcionará dentro de uma unidade móvel (ônibus) com doze computadores em rede com acesso à Internet, impressora, televisão, videocassete, DVD e outros equipamentos necessários para o desenvolvimento de cursos básicos de informática.

    A turma da manhã terá 24 alunos cada (dois por computador), com faixa etária entre 16 e 18 anos. Para o turno da noite haverá o mesmo número de alunos, mas as aulas serão abertas a todas as faixas etárias. Na parte da tarde os computadores ficarão disponíveis para acesso à Internet de toda população, abrindo para impressão de contas, realização de trabalhos escolares, entre outros. A Semed fornecerá o instrutor, a zeladora e o espaço junto à escola com pontos de energia elétrica para o funcionamento dos equipamentos.

    No primeiro momento o projeto estará funcionando em caráter experimental e promovendo cursos de internet no Bairro Santa Cruz, mas logo após percorrerá diversos bairros da cidade. De acordo com a Fundação Assis Gurgacz, o projeto pretende atender cerca de 9,4 mil pessoas por ano, oferecendo às pessoas atendidas a possibilidade de uma melhor inserção no mercado de trabalho. As pessoas que querem participar devem ser alfabetizadas, ter acima de 12 anos e se inscrever na unidade móvel.

    Fonte: http://www.catve.com.br/noticias/ler...a.asp?cod=3543






Tópicos Similares

  1. Respostas: 5
    Último Post: 09-06-2015, 11:13
  2. Respostas: 10
    Último Post: 15-05-2013, 08:09
  3. Respostas: 3
    Último Post: 31-10-2009, 11:20
  4. Inclusão digital, o fim de povedores de acesso wireless?
    Por alanvictorjp no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 5
    Último Post: 01-02-2008, 21:47
  5. Projeto de inclusão digital
    Por lucaspaulo no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 1
    Último Post: 20-04-2006, 08:12

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L