Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Pessoal,

    Tenho um servidor que está me dando dor de cabeça. O cache enche e para tudo.
    Gostaria de criar uma partição para colocar o cache. Como criar essa norva partição agora, com o linux já instaldo?

    Grato.

  2. #2
    belvio
    bom se o hd onde o sistema esta instalado tiver algum espaço não alocado vc pode usar este espaço para criar a nova partição, caso contrario, instala mais um hd e utiliza a ferramenta fdisk para criar a partição formata utilizando o mkfs faz as devidas alterções no /etc/fstab e no arquivo de configuração do serviço em questão tipo /etc/squid/squid.conf no caso do squid.



  3. Citação Postado originalmente por belvio
    bom se o hd onde o sistema esta instalado tiver algum espaço não alocado vc pode usar este espaço para criar a nova partição, caso contrario, instala mais um hd e utiliza a ferramenta fdisk para criar a partição formata utilizando o mkfs faz as devidas alterções no /etc/fstab e no arquivo de configuração do serviço em questão tipo /etc/squid/squid.conf no caso do squid.
    Certo, mas meu problema é no arquivo /etc/fstab, não sei como mexer no mesmo.
    Se puder explicar ficarei grato.

  4. #4
    Todas as informações abaixo foram retiradas do guia-foca se vc quiser informações mais detalhadas pode baixa-lo da net blz, mas acho com o que já esta ai da para resolver seu problema.


    5.12 Identificação de discos e partições em sistemas Linux
    No GNU/Linux, os dispositivos existentes em seu computador (como discos rígidos, disquetes, tela, portas de impressora, modem, etc) são identificados por um arquivo referente a este dispositivo no diretório /dev.

    A identificação de discos rígidos no GNU/Linux é feita da seguinte forma:

    /dev/hda1
    | | ||
    | | ||_Número que identifica o número da partição no disco rígido.
    | | |
    | | |_Letra que identifica o disco rígido (a=primeiro, b=segundo, etc...).
    | |
    | |_Sigla que identifica o tipo do disco rígido (hd=ide, sd=SCSI, xt=XT).
    |
    |_Diretório onde são armazenados os dispositivos existentes no sistema.
    Abaixo algumas identificações de discos e partições em sistemas Linux:

    /dev/fd0 - Primeira unidade de disquetes.
    /dev/fd1 - Segunda unidade de disquetes.
    /dev/hda - Primeiro disco rígido na primeira controladora IDE do micro (primary master).
    /dev/hda1 - Primeira partição do primeiro disco rígido IDE.
    /dev/hdb - Segundo disco rígido na primeira controladora IDE do micro (primary slave).
    /dev/hdb1 - Primeira partição do segundo disco rígido IDE.
    /dev/sda - Primeiro disco rígido na primeira controladora SCSI.
    /dev/sda1 - Primeira partição do primeiro disco rígido SCSI.
    /dev/sdb - Segundo disco rígido na primeira controladora SCSI.
    /dev/sdb1 - Primeira partição do segundo disco rígido SCSI.
    /dev/sr0 - Primeiro CD-ROM SCSI.
    /dev/sr1 - Segundo CD-ROM SCSI.
    /dev/xda - Primeiro disco rígido XT.
    /dev/xdb - Segundo disco rígido XT.
    As letras de identificação de discos rígidos podem ir além de hdb, em meu micro, por exemplo, a unidade de CD-ROM está localizada em /dev/hdg (Primeiro disco - quarta controladora IDE).

    É importante entender como os discos e partições são identificados no sistema, pois será necessário usar os parâmetros corretos para monta-los.


    --------------------------------------------------------------------------------

    5.13 Montando (acessando) uma partição de disco
    Você pode acessar uma partição de disco usando o comando mount.

    mount [dispositivo] [ponto de montagem] [opções]

    Onde:

    dispositivo
    Identificação da unidade de disco/partição que deseja acessar (como /dev/hda1 (disco rígido) ou /dev/fd0 (primeira unidade de disquetes).
    ponto de montagem
    Diretório de onde a unidade de disco/partição será acessado. O diretório deve estar vazio para montagem de um sistema de arquivo. Normalmente é usado o diretório /mnt para armazenamento de pontos de montagem temporários.
    -t [tipo]
    Tipo do sistema de arquivos usado pelo dispositivo. São aceitos os sistemas de arquivos:
    ext2 - Para partições GNU/Linux usando o Extended File System versão 2 (a mais comum).
    ext3 - Para partições GNU/Linux usando o Extended File System versão 3, com suporte a journaling.
    reiserfs - Para partições reiserfs, com suporte a journaling.
    vfat - Para partições Windows 95 que utilizam nomes extensos de arquivos e diretórios.
    msdos - Para partições DOS normais.
    iso9660 - Para montar unidades de CD-ROM. É o padrão.
    umsdos - Para montar uma partição DOS com recursos de partições EXT2, como permissões de acesso, links, etc.
    Para mais detalhes sobre opções usadas com cada sistema de arquivos, veja a página de manual mount.

    -r
    Caso for especificada, monta a partição somente para leitura.
    -w
    Caso for especificada, monta a partição como leitura/gravação. É o padrão.
    Existem muitas outras opções que podem ser usadas com o comando mount, mas aqui procurei somente mostrar o básico para "montar" seus discos e partições no GNU/Linux (para mais opções, veja a página de manual do mount). Caso você digitar mount sem parâmetros, serão mostrados os sistemas de arquivos atualmente montados no sistema. Esta mesma listagem pode ser vista em /etc/mtab. A remontagem de partição também é muito útil, especialmente após reparos nos sistema de arquivos do disco rígido. Veja alguns exemplos de remontagem abaixo.

    É necessário permissões de root para montar partições, a não ser que tenha especificado a opção user no arquivo /etc/fstab (veja fstab, Seção 5.13.1).

    Exemplo de Montagem:

    Montar uma partição Windows (vfat) de /dev/hda1 em /mnt somente para leitura: mount /dev/hda1 /mnt -r -t vfat
    Montar a primeira unidade de disquetes /dev/fd0 em /floppy: mount /dev/fd0 /floppy -t vfat
    Montar uma partição DOS localizada em um segundo disco rígido /dev/hdb1 em /mnt: mount /dev/hdb1 /mnt -t msdos.
    Remontar a partição raíz como somente leitura: mount -o remount,rw /
    Remontar a partição raíz como leitura/gravação (a opção -n é usada porque o mount não conseguirá atualizar o arquivo /etc/mtab devido ao sistema de arquivos / estar montado como somente leitura atualmente: mount -n -o remount,rw /.

    --------------------------------------------------------------------------------

    5.13.1 fstab
    O arquivo /etc/fstab permite que as partições do sistema sejam montadas facilmente especificando somente o dispositivo ou o ponto de montagem. Este arquivo contém parâmetros sobre as partições que são lidos pelo comando mount. Cada linha deste arquivo contém a partição que desejamos montar, o ponto de montagem, o sistema de arquivos usado pela partição e outras opções. fstab tem a seguinte forma:

    Sistema_de_arquivos Ponto_de_Montagem Tipo Opções dump ordem
    /dev/hda1 / ext2 defaults 0 1
    /dev/hda2 /boot ext2 defaults 0 2
    /dev/hda3 /dos msdos defaults,noauto,rw 0 0
    /dev/hdg /cdrom iso9660 defaults,noauto 0 0
    Onde:

    Sistema de Arquivos
    Partição que deseja montar.
    Ponto de montagem
    Diretório do GNU/Linux onde a partição montada será acessada.
    Tipo
    Tipo de sistema de arquivos usado na partição que será montada. Para partições GNU/Linux use ext2, para partições DOS (sem nomes extensos de arquivos) use msdos, para partições Win 95 (com suporte a nomes extensos de arquivos) use vfat, para unidades de CD-ROM use iso9660.
    Opções
    Especifica as opções usadas com o sistema de arquivos. Abaixo, algumas opções de montagem para ext2/3 (a lista completa pode ser encontrada na página de manual do mount):
    defaults - Utiliza valores padrões de montagem.
    noauto - Não monta os sistemas de arquivos durante a inicialização (útil para CD-ROMS e disquetes).
    ro - Monta como somente leitura.
    user - Permite que usuários montem o sistema de arquivos (não recomendado por motivos de segurança).
    sync é recomendado para uso com discos removíveis (disquetes, zip drives, etc) para que os dados sejam gravados imediatamente na unidade (caso não seja usada, você deve usar o comando sync, Seção 10.22 antes de retirar o disquete da unidade.
    dump
    Especifica a frequência de backup feita com o programa dump no sistema de arquivos. 0 desativa o backup.
    Ordem
    Define a ordem que os sistemas de arquivos serão verificados na inicialização do sistema. Se usar 0, o sistema de arquivos não é verificado. O sistema de arquivos raíz que deverá ser verificado primeiro é o raíz "/" (a não ser que você tenha um sistema de arquivos de outro tipo que não é montado dentro do diretório raíz e possui seu suporte embutido no kernel) .
    Após configurar o /etc/fstab, basta digitar o comando mount /dev/hdg ou mount /cdrom para que a unidade de CD-ROM seja montada. Você deve ter notado que não é necessário especificar o sistema de arquivos da partição pois o mount verificará se ele já existe no /etc/fstab e caso existir, usará as opções especificadas neste arquivo. Para maiores detalhes veja as páginas de manual fstab e mount.



  5. Nossa, intendi tudo.
    A única coisa que ficou faltando, é como determino o tamanho de cada partição.
    Vou no arquivo fstab e coloco lá uma partição, mas como vou determinar seu tamanho?






Tópicos Similares

  1. criar usuario para phpmyadmin
    Por 4dr4ck no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 3
    Último Post: 11-06-2004, 17:33
  2. Criar partição ext2 pelo cfdisk
    Por giuliano no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 2
    Último Post: 19-04-2004, 22:48
  3. Criar partição NTFS via linux é possível?
    Por vonlinkerstain no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 8
    Último Post: 10-12-2003, 08:58
  4. Permissão para o cache do squid
    Por peen-gween no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 1
    Último Post: 07-03-2003, 19:40
  5. Criar pagina para os sites bloqueados..
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 4
    Último Post: 12-02-2003, 11:14

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L