+ Responder ao Tópico



  1. E ai galera, beleza? /o
    Não sei se vocês já passaram por isso, mas o caso é um pouco diferente. Vamos lá.

    Utilizamos o OpenVPN em servidor Linux para gerenciar as conexões e talz (matriz) e estamos querendo usar um cliente Windows (filial) no notebook de nosso chefe. Até ai tudo bem. Conseguimos configurar o OpenVPN de acordo com este tutorial ( Linux: VPN em Linux com OpenVPN [Artigo] ) e deu tudo certo do lado cliente.

    Consigo pingar normalmente o servidor OpenVPN em Linux no Windows XP e as demais máquinas da rede interna. O problema, é que a máquina Linux não consegue de jeito nenhum pingar para o cliente Windows.

    O que já tentei até agora para resolver o problema:
    - Baixar o Firewall do Windows
    - Verificar regras de Masquerade do Iptables
    - Trocar IP's utilizados para a rede interna do Notebook
    - Tirar o modem do Velox do modo router e colocar no modo Bridge

    Não consegui pensar em mais nenhuma alternativa para resolver o problema.
    Alguém já fez este tipo de comunicação entre Windows e Linux?

    Valeu galera. o/

  2. a matriz nao deve estar subindo as rotas certas

    suponto que::
    matriz 192.168.0.0/24
    filial: 192.168.1.0/24

    matriz:

    internet: 200.200.200.1 (eth0)
    lan: 192.168.0.0/24 (eth1)
    vpn: 10.0.0.1/32 (tun0)


    filia:
    internet: 200.100.100.1 (eth0)
    lan: 192.168.1.0/24 (eth1)
    vpn: 10.0.0.2 (tun00)


    rotas no gw da matriz:

    route add -net 192.168.1.0 netmask 255.255.255.0 gw 10.0.0.1 dev tun0

    rotas no gw da filial:
    route add -net 192.168.0.0 netmask 255.255.255.0 gw 10.0.0.2 dev tun0


    acho que isso deve funcionar

    cada gw precisa saber onde esta e por onde sair para chegar a rede do outro gw ...



  3. Opa Alexandre, obrigado pela ajuda. =)
    Bom, eu tentei realizar a conexão da seguinte forma:

    Matriz
    IP Virtual: 10.10.0.1
    IP Válido para Web: 200.157.150.156 (exemplo)
    Porta: 1000 (exemplo)

    Filial
    IP Virtual: 10.10.0.2
    Porta: 1000 (exemplo)

    Arquivo de configuração da Matriz (servidor Linux):
    Código :
    # Usar o protocolo UDP
    proto udp
    # Usar como interface o driver TUN
    dev tun
    # 10.10.0.1 ip que será assumido na matriz
    # 10.10.0.2 ip remoto, ou seja, esse será o ip da filial
    ifconfig 10.10.0.1 10.10.0.2
    # Entra no diretório onde se encontram os arquivos de configuração
    cd /etc/openvpn
    # Indica que esse túnel possui uma chave de criptografia
    secret chave
    # OpenVPN usa a porta 5000/UDP por padrão.
    # Cada túnel do OpenVPN deve usar
    # uma porta diferente.
    # O padrão é a porta 5000
    port 1000
    # Usuário que rodará o daemon do OpenVPN
    user nobody
    # Grupo que rodará o daemon do OpenVPN
    group nobody
    # Envia um ping via UDP para a parte
    # remota a cada 15 segundos para manter
    # a conexão de pé em firewall statefull
    # Muito recomendado, mesmo se você não usa
    # um firewall baseado em statefull.
    ping 15
    # Nível de log
    verb 3

    Configuração da filial (cliente Windows XP):
    Código :
    # Usar como interface o driver TUN
    dev tun
    # Indicamos o protocolo a ser usado
    proto udp
    # 10.10.0.1 ip que será assumido na matriz
    # 10.10.0.2 ip remoto, ou seja, esse será o ip da filial
    ifconfig 10.10.0.2 10.10.0.1
    # Indica que esse túnel possui uma chave de criptografia
    cd config
    secret chave
    # Rota de máquina remota (Matriz).
    remote 200.157.150.156
    # OpenVPN usa a porta 5000/UDP por padrão.
    # Cada túnel do OpenVPN deve usar
    # uma porta diferente.
    # O padrão é a porta 5000
    port 1000
    # Usuário que rodará o daemon do OpenVPN
    user nobody
    # Grupo que rodará o daemon do OpenVPN
    group nobody
    # Envia um ping via UDP para a parte
    # remota a cada 15 segundos para manter
    # a conexão de pé em firewall statefull
    # Muito recomendado, mesmo se você não usa
    # um firewall baseado em statefull.
    ping 15
    # Nível de log
    verb 3

    Comando executado na Matriz (Linux) para o OpenVPN:
    Código :
    openvpn --config /etc/openvpn/matriz.conf --route 192.168.1.0 255.255.255.0 10.10.0.2 --daemon

    Comando executado na Filial (Windows) para o OpenVPN:
    Código :
    openvpn --config config\filial.conf --route 10.100.1.0 255.255.255.0 10.10.0.1

    Pelo que vi, ele já adiciona a rota automaticamente com esses comandos. Existe algum parâmetro de configuração que possa estar faltando no OpenVPN?

    Nota Importante: Esqueci de dizer que, quando tento pingar da Matriz para o IP 10.10.0.2 (IP da Filial, ou cliente XP), ele não responde. O Firewall do XP não está ativado, nem existe qualquer outro tipo de firewall instalado nele).

    Valeu galera. o/
    Última edição por Bit; 06-06-2007 às 09:44. Razão: Esqueci de colocar um dado importante que talvez ajude a solucionar o problema.

  4. humm.. entao ta faltando rota na matriz..

    cada gateway deve pingar um ao outro... tenta adicionar as rotas manualmente !!






Tópicos Similares

  1. OpenVPN: Cliente Conecta mas não Comunica com Outra Rede
    Por darlan123 no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 10
    Último Post: 18-12-2011, 05:34
  2. Filial ve matriz mas não ao contrário
    Por xvktr no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 10
    Último Post: 11-08-2011, 11:55
  3. Respostas: 4
    Último Post: 14-09-2009, 11:01
  4. Filias enchergam Matriz , mas Matriz não enxerga filiais.
    Por rodrigomezetti no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 0
    Último Post: 19-09-2007, 15:23
  5. Respostas: 4
    Último Post: 26-09-2006, 12:43

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L