Ver Feed RSS

paulocwb2003

Netbook YeeLoong 8089

Avalie este Post de Blog
Artigo original em: Netbooks: YeeLoong8089 « O Futuro é a Liberdade
Uma notícia muito boa, dada pelo Alexandre Oliva, que transcrevi neste post (Livre Afinal !!!! – Blog do Alexandre Oliva « O Futuro é a Liberdade), foi o lançamento do primeiro netbook completamente livre do mundo. No post, Alexandre não deu detalhes técnicos, mas consegui informações neste site (http://www.lemote.com/english/yeeloong9c.html), que transcrevo aqui:

Trata-se de um netbook com tela de 8,9 polegadas, totalmente equipado com software livre (BIOS, drivers, Sistema Operacional) e com hardware livre, ou seja, ele pode ser desmontado, copiado, a cópia pode ser vendida, mas o conceito de “livre” implica que qualquer outro desenvolvimento a partir dele deva ser livre também.

Segundo o desenvolvedor, a Quanta Computer, o maior fabricante de notebooks em OEM do mundo (não dá para falarmos mais em “fabricante”, já que este pode ser qualquer um que queira fabricá-lo), diz que ele tem o melhor desempenho dessa classe de equipamentos, baixo consumo de energia (12 Watts para a versão equipada com drive SSD). É possível, ao contrário dos outros equipamentos móveis “não livres” do mercado, alterar as configurações de hardware, anexando módulos como disco rígido, wireless, câmera, bluetooth e GPS. Você pode escolher uma configuração que mais se adapte às suas necessidades evitando pagar por hardware que não utiliza.

Maiores informações: http://www.lemote.com/english/yeeloong9c.html

O desenvolvedor está à procura de empresas parceiras para produzir e comercializar este produto na América Latina. Quem souber de empresas interessadas, entre em contato com o Alexandre Oliva: lxoliva@fsfla.org

Características técnicas:
CPU: STLS 2F(Loongson 2F) 800MHz, com controlador integrado de DDR2 e PCI
Northbridge: integrada na CPU
Southbridge: AMD CS5536
Chip gráfico: SMI712
Chips de rede: RTL8139 + RTL8187B (wifi)
Câmera: 300K pixel
Leitor de cartões: Realtek RTS5158E
Memória: SO-DIMM DDR2 512MB/1GB (opcional)
Armazenamento: HDD de 160GB 2.5′ ou SSD de 2GB/8GB (opcional)
Tela: 8.9” TFT LCD 1024×600
Expansões: USB wifi (opcional)
Interfaces: USB2.0×3, fone de ouvido+ MIC, SDx1, RJ45×1, VGAx1, DC-inx1
Consumo de energia: <12Watt
Fonte: Adaptador DC de 12V e 3.5A
Gabinete: PC+ABS+IMR A/C
Tamanho: 25.5×18.8×2.5cm
Teclado: 80key 23.8cm
Peso: ~1Kg (Exclui peças externas)
Sistema operacional: Debian GNU/Linux + Lemote Education suites
Outros sistemas opcionais: Mandriva, Sunwah, Slackware, Gentoo etc.
Categorias
Artigos , Reviews

Comentários

  1. Avatar de Não Registrado
    Olá eu li o post (muito didático) masi ainda restou uma dúvida. Os chips são livres também?

    Tem alguma coisa que não seja livre nele, analisando friamente o caso?
    Se eu quisesse poderia vir com um esquema de montar?

    Fiquei com essa dúvida, assim seria 100% livre.

    Obrigado pela atenção.
  2. Avatar de alamdias
    Entendo como LIVRE, os softwares. O hardware não deve ser livre, ninguém vai fabricar chip, tela de LCD, livres , ok ?

    Abraços
  3. Avatar de mlrodrig
    Citação Postado originalmente por alamdias
    Entendo como LIVRE, os softwares. O hardware não deve ser livre, ninguém vai fabricar chip, tela de LCD, livres , ok ?

    Abraços
    O conceito de livre é que todo mundo pode copiar e melhorar sem restrições. Obviamente é muito mais fácil copiar e mudar um software do que copiar e mudar um hardware.

    Pelo que se pode entender nesse caso, os chips não são livres (os fabricantes dos chips ainda não entraram na era do GPL). Mas é livre o trabalho de integração desses componentes, desenvolvido pela Quanta.

    Mas essa iniciativa da Quanta é interessante porque pelo menos tornou livre o barramento e a topologia dos componentes. Quando se faz um notebook, se gasta muito em colocar cada coisa em seu lugar, barramentos, rotas dentro do circuito impresso, tecnologia de aterramento, etc, etc.
    Eu creio que a estratégia da Quanta seja a de permitir com que outros "terminem" o notebook se for necessário. Afinal, já que é difícil montar uma fábrica para montar um notebook, eu posso comprar o equipamento semi-montado da Quanta e mudar aquilo que eu precisar.

    Na verdade os fabricantes OEM já fazem customização hoje: você dá uma especificação, compra um lote grande e eles fazem. Acho que essa estratégia da Quanta pode viabilizar coisas em menor escala, talvez com um pedido menor (que não seria aceito para um customização) um desenvolvedor consiga comprar um lote semi-finalizado e dar os acréscimos necessários.
  4. Avatar de paulocwb2003
    Citação Postado originalmente por alamdias
    Entendo como LIVRE, os softwares. O hardware não deve ser livre, ninguém vai fabricar chip, tela de LCD, livres , ok ?
    Abraços
    O hardware é livre, ou seja, placas de circuito impresso, conectores, gabinete, serigrafias, etc.

    É muito possível que os chips não sejam livres, entretanto, isso é uma questão secundária. É possível você alterar o hardware, utilizando componentes diferentes dos utilizados pelo fabricante original, fazendo o mesmo trabalho. Isso porque tem-se acesso às especificações dos componentes. Da mesma forma, é possível você fazer um chip que faça as mesmas funções dos chipsets proprietários utilizados, já que as especificações técnicas deles estão disponíveis nos datasheets. Basta você ter a tecnologia para isso.

    Pense nisso como se fosse uma biblioteca de software (como os DLL do Windows, ou as lib do Linux): o programador coloca valores em variáveis com nomes pré-estabelecidos, a biblioteca devolve valores processados em variáveis também pré-definidas. Num chip, você coloca sinais em alguns pinos que devem dar uma determinada saída em outros pinos. Você não precisa saber o que tem dentro, mas como ele funciona, e pode fazer um circuito (ou escrever uma biblioteca) que faça exatamente a mesma coisa.

    Os chips ainda não são livres, mas isso não impede que o produto seja livre. O que vale é que as coisas estão mudando. Hoje é o produto, no futuro pode ser o chip.

    Abraço.

+ Enviar Comentário



Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L