Ver Feed RSS

saryshagan

Firefox versus Internet Explorer

Avaliação: 3 votos, 5,00 média.
De acordo com a StatCounter, o Firefox 3.5 é atualmente a versão de navegador mais utilizada no mundo, superando por pouco a versão 7 em uso do Internet Explorer (o segundo colocado na lista). A estatística foi criada a partir da coletânea de dados obtidos de milhares de sites, registrando os acessos às suas páginas por diferentes navegadores e suas versões em uso. Atualmente, a versão 3.5 do Firefox possui 21.93% do uso total, seguida de perto pela versão 7 do Internet Explorer, com 21,20%. O IE8 possui 20,33% e o IE6 13,89%. Este é um ponto a se comemorar, mas não podemos esquecer que a guerra ainda está longe de ser ganha. O Firefox 3.5 pode estar ganhando de todas as versões do Internet Explorer, de forma isolada, mas ainda está perdendo feio no somatório total. Juntando todas as versões do Internet Explorer, seu uso chega a 55,44% do total, enquanto as versões em uso do navegador da Mozilla, incluindo o Firefox 3.5, 2.0 e versões bem mais antigas, possuem 32,12% do bolo.


Firefox: Maior Adesão por Quem Respeita os Padrões Web

O interessante de se notar aqui é que o Firefox ganha em uso com as versões mais recentes de seu navegador, mostrando que os usuários que preferem esse browser estão mais interessados em possuir sempre a última palavra em tecnologia Web, além de estarem antenados com as novidades e os padrões da Internet. Já do lado da Microsoft, é claro que as mesmas estatísticas mostram que os usuários do Internet Explorer tem começado a largar a versão 7 e migrado (mesmo que lentamente) para a versão 8. O problema ainda reside nos usuários "teimosos" que insistem em utilizar o IE6, o mesmo problemático que vem sendo alvo de uma verdadeira "caça às bruxas" na Internet [3][4].

http://under-linux.org/fotos/sarysha...-standards.jpg
Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         8256-mozilla-open-standards.jpg
Visualizações:	861
Tamanho: 	84,8 KB
ID:      	8436

O Ministério da Web adverte! Utilize apenas os padrões em seus projetos!

Várias são as intermináveis campanhas contra esse navegador que afronta os padrões em vigor da Internet. Até a própria Microsoft aconselha seus usuários a migrarem seus navegadores, do IE6, para a última versão, o IE8 [3], mesmo ainda que garantindo o suporte dessa versão do navegador até 2012. Após ter lançado a versão 8 de seu navegador web, a Microsoft iniciou uma campanha para incentivar seus usuários que ainda utilizam o IE6 a migrarem para o IE8. Porém, muitos desses mesmos usuários ainda não efetuaram a migração por estarem "presos" corporativamente e essa tecnologia ultrapassada.


Construindo Sua Casa com Segurança

Muitas companhias ainda utilizam como padrão de segurança, sistemas de intranet Web feitos para funcionar exclusivamente com essa versão de navegador. Empresas essas que nunca quiseram investir para se livrar das amarras de um sistema fechado e fora dos atuais padrões da Web, e que atualmente devem estar pagando financeiramente pelos seus erros. Por estarem presos a essa tecnologia ultrapassada, perdem rios de dinheiro com segurança extra, sem estarem completamente livres dos infortúnios que os crackers os presenteiam todos os dias. É como querer montar uma casa sem utilizar uma planta feita por um engenheiro, e ainda materiais de péssima qualidade (e fora das normas técnicas da ABNT). Com o tempo vão aparecendo rachaduras, vazamentos, infiltrações, até que um dia a casa inteira vem abaixo. E para não cair de vez, são feitos constantes "remendos" que consomem muito dinheiro. Ao final, você terá gasto o valor de três a quatro casas e terá sempre um produto muito aquém do ideal.

Só que o problema não se resume apenas no crescente investimento financeiro para acabar com esses sistemas legados, mas sim, na eterna problemática de segurança que a cada ano assusta mais e mais essas corporações. Para esses últimos, a Microsoft está desenvolvendo uma campanha que funcionará até meados de junho de 2010, onde a mesma propagandeiará que o IE8 é a melhor alternativa para seus usuários que ainda estejam utilizando o IE6.

Outro ponto contra a migração está na "fixação quase doentia" de parte de alguns dos atuais Web Designers, pelo uso do IE6 para o desenvolvimento de seus produtos. O problema é que, a cada ano que passa, o IE6 vem se consolidando como o navegador que você nunca deveria utilizar se quiser seguir os padrões da Web. Na verdade não existe motivo atual para se prender ao Internet Explorer versão 6. Sabemos que esse é um problema que vem de anos atrás, onde Web Design era sinônimo de desenvolvimento de sites para plataforma Windows. E muitos dessa classe de profissionais ainda continuam se prendendo aos "antigos padrões microsoftianos" de desenvolvimento Web.

Na época em que o potencial-problema estava no auge, a plataforma Windows dominava absolutamente nos desktops residenciais e empresariais (a porção Linux e afins era risível). E o IE6 vinha sempre embarcado (a força e) por padrão, junto com esse sistema operacional. Mas uma coisa que ninguém nunca deveria ter misturado, era o uso desta ferramenta, com os padrões da Web. Os padrões Web sempre existiram! É claro que nessa época, parecia não haver preocupação por parte desses profissionais com a existência de padrões (será que hoje em dia a maioria já percebeu que é importante se preocupar com os padrões Web?). O problema é que essa "visão limitada" do escopo "Internet" está custando caro para todos nós nos dias de hoje.


Carros Elétricos versus Carros à Combustão


Uma analogia a esse problema digital seria o atual uso de combustíveis fósseis em veículos. A criação de veículos a combustão se deu quase em paralelo com a de veículos elétricos. Enquanto o mundo preferiu manter apenas os sistemas coletivos de transporte movidos a eletricidade (trens trólebus, etc), todo o resto foi transferido para o desenvolvimento e aperfeiçoamento dos motores à explosão. Imposição de mercado visto os lucrativos usos futuros do monopólio petrolífero? Provável! Afinal, o que sempre movimentou o mundo foi dinheiro. O problema? Vários! Desde o aumento alarmante da poluição, até o uso de uma fonte de energia existente em quantidade muito limitada. Foi preciso uma crise para que as atuais companhias empurrassem seus projetos de automotores elétricos para o mundo. Será que eles teriam coragem de fazer isso se não houvesse essa crise? E como será que já estaríamos avançados tecnologicamente se todo o esforço utilizado para o desenvolvimento e aperfeiçoamento dos motores a combustão, fossem utilizados exclusivamente para o desenvolvimento de motores e sistemas elétricos?

http://under-linux.org/fotos/sarysha...sla-motors.gif
Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         8255-tesla-roadster-electric-car-tesla-motors.gif
Visualizações:	824
Tamanho: 	85,4 KB
ID:      	8437
Vou de 0 a 100 mais rápido que uma Ferrari, sou mais barato que uma Ferrari, e sou totalmente elétrico. Adivinha quem eu sou!?


Remando Contra a Maré ... pra quê?


Não é porque uma empresa era líder de mercado que os profissionais da área precisariam remar contra a maré da padronização e implementar todos os seus produtos em um navegador fora dos padrões. Muitos alegam que se não utilizassem o IE6 como base para desenvolver seus trabalhos, estariam automaticamente fora do mercado. Isso era fato naquele tempo. mas e agora? A insistência ano após ano dessa versão causou (e ainda causa) a atual barreira no desenvolvimento de produtos e serviços Web dentro dos padrões. Na época, muitas empresas também forçavam o desenvolvimento de sites que fossem visualizados "com perfeição" no IE6. Uma verdadeira imposição de mercado. Isso sem contar que, para a maioria dos desenvolvedores, Web 2.0 ainda é um conceito para o futuro distante, mas vamos deixar isso para um próximo post...

Lembro a todos que o mercado é o profissional quem faz. E o que a maioria dos profissionais não vê, é que depende dele (e de seus produtos inovadores) para que se alcance a liderança de mercado em qualquer área. Padrão não é somente uma palavra bonita. E eles não estão aí à toa. De forma geral, os padrões existem para facilitar nossas vidas, gerar maior segurança, e economizar muito dinheiro com todo o processo. O mesmo vale para os padrões Web. Os padrões são tecnologias testadas e aprovadas como a melhor alternativa para uso coletivo, visando rapidez, baixo custo, segurança, e um monte de outros itens indispensáveis para o desenvolvimento de nossa sociedade.


Saiba Mais:

[1] Heise Online: http://www.h-online.com/open/news/it...cs-891315.html
[2] StatCounter: http://www.statcounter.com/
[3] CNet News: http://news.cnet.com/8301-30685_3-10406468-264.html
[4] Mashable COM: http://mashable.com/2009/08/31/upgrade-from-ie6/


Links de Interesse:

[1] Mozilla Corrige Falhas Críticas no Firefox 3.5.4 e 3.0.15
[2] Mozilla e o anúncio do Firefox 3.6
[3] Mozilla permite agrupar plug-ins do Firefox
[4] Mozilla Lança o SeaMonkey 2.0

Atualizado 05-01-2010 em 07:49 por saryshagan (Re-alocação de imagens.)

Categorias
Artigos

Comentários

  1. Avatar de code
    Muito bom o seu post! Meus parabéns. Eu também só dou o devido valor a navegadores que respeitam os padrões da Web. Eu desenvolvo sites e sistemas de bancos de dados para clientes, e sempre aplico os padrões em todos os meus projetos. E realmente, saber que ainda existem "profissionais" que não respeitam os padrões da Web nos dias de hoje e querem fazer sites restritos a navegadores que não trabalham dentro dos padrões de apresentação de conteúdo, é lamentável...
  2. Avatar de saryshagan
    Obrigado, Code! Espero que goste também de meus futuros textos aqui no UNDER. Vou tentar lançar mais um ainda neste final de semana.

+ Enviar Comentário





Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L