+ Responder ao Tópico



  1. #81

    Padrão

    Cara,

    Das duas uma, ou você tem dificuldade para entender as coisas ou quer convencer as pessoas pelo cansaço.

    Eu disse que neste caso deveria ser testado com equipamento adequado, equipamento de análise do espectro, da onda, da frequência, de tudo.

    Tudo bem que hajam cálculos e mais cálculos provando, mas sem testar com equipamento que pegue uma peguena falha um diferença não adianta.

    Você vai usar "PROFISSIONALMENTE" cabo de 75ohms? Cada um faz o que quer! Eu não me arriscaria a usar um cabo que não é específico para a situação sem que esteja completamente satisfeito com a resposta. E PARA MIM somente após testes em laboratório.

    Você pode vir postar que encontrou em site X ou site Y, PRA MIM não vai adiantar nada.

    Se mais alguém quer usar cabo X para o fim Y que use, problema de cada um. Em nosso caso que é wireless já não é problema de cada um, pois se houver uma distorção no sistema pode afetar outras pessoas e não somente a si.

    Desde a abertura do tópico eu entendi o que você quis passar, mas você, pelo visto, não quer entender.

  2. #82

    Padrão

    Citação Postado originalmente por JHONNE Ver Post
    ...
    mas ainda existem outras constantes quando o problema é acoplamento, eu mesmo gostaria de saber se realmente essas antenas de grade que compramos tem 50 ohms de impedancia, porque se não tiverem podemos estar disacoplando ao invés de acoplar, e os cabos? em mesmo a impedância descrita.
    ...
    ...
    É verdade nandofer, não só os fatores como diametro do condutor, e diametro do cabo que interferem, a perda pode estar também na capacitancia, indutância, resistência e condutividade do material isolante entre o cabo e a malha.

    Mãos a obra, vamos fazer cálculos!
    Daí vem a minha mente novamente, o Stub. Prá que serve? Como fazê-lo?

    A maioria de nós não dispomos de equipamentos para analizar os prós e contras, só nos resta observar a prática e no máximo um netstumbler num notebook.
    Quem fabrica antenas poderia dar uma luz no assunto para todos nós. Pelo menos, equipamento para testes profundos eles devem ter.

    Mas o Gilvan, dificilmente vai entrar nessa discussão (sadia).



  3. #83

    Padrão

    Efeito skin : quanto mais alta a frequencia mais o sinal de propaga mais superficialmente. A camada de profundidade por onde o sinal de Rf se propaga é inversamente proporcional a frequência. Ou seja, não existe o limte de 1GHz para haver o efeito skin.

    Repito também que a densidade da malha não afeta a atenuação do sinal de RF, afeta apenas a blindagem eletromagnética, o resistência ôhmica para sinais de baixa frequência e a resistencia a torção e tensão sobre o conector.

    Sem muito bostejo, a atenuação do cabo de RF depende apenas das dimensões do cabo (diâmetro externo e diâmetro do condutor central) e do material dielétrico (o isolante entre os 2 condutores). A capacitância do cabo é função da contante de dielétrico e das dimensões do cabo .

    Um fato importante é que o se usar um cabo de 75 ohms num sistema de 50ohms vai haver reflexão de sinal tanto na saída do transmissor (entrada do cabo) e na interface cabo antena. Este sinal que é refletido volta para o transmissor do sinal podendo provocar a queima do transmissor, ou redução de vida do mesmo.

  4. #84

    Padrão

    Par mim nao vai mudar, a capacitancia e a consecuencia, e um estorbo, ela nao determina a impedancia, e justamente o que se quer eliminar nos cabos, em alta frequancia muito pior, ja que a capacitancia comeza a influir diretamente na sintonia, olha so por exemplo em 50mhz uma capacitancia de 10pf na saida nao vai influir muito, mas imagina eses mesmo 10 pf em um circuito de 2ghz, equivale a um cortocircuito.
    Olha se pegamos 3 tipos de cabos de modeos identicos por ex. RG213, RGC213,DLC213, a diferenca entre eles e o seu dieletrico, como consequancia a capacitancia tb, mas mas se medirmos seus conductores internos e externo (interior) eles sao exatamente iguais, entao a capacitancia nos 3 e diferente e mesmo assim eles tem 50hom, porque , porque a impedancia esta dada pela diferenca entre eses condutores.Podemos usar qualquer linha de qualquer impedancai desde que ela esteja sintonizada a multiplos de meia onda da frequencia , ja que ela se comporta nese caso como neutra, a impedancia que entra e a mesma que sai.
    Concordo contigo apenas que a capacitancia e a responzavel de um cabo ter maior perda que o outro, mas nao que ela determine a impedancia do cabo.

    A pratica e a base de toda e qualuer teoria, sem ela nao teriamos nehum fundamento teorico.
    Teoria no papel e muito bonita, mas na pratica e otra cosa.



  5. #85

    Padrão

    Bom o que pode acontecer tb , e que tudo certinho antena de 50 ohm, cabo 50ohm, saida do radio 50ohm, neste caso nao teria porque o de 75 ohm funcionar melhor, mas se a antena tem +-50 ohm, se o cabo tem +- 50ohm, e o radio tem +- 50ohm, ahi meu amigo, e outra estoria.

  6. #86

    Padrão

    alguem ai pode me responder qual o cumprimento de uma onda de 2400 mhz? eu sei que frequencias baixas as ondas sao maiores exemplo: na casa de 100-200 hz a onda pode chegar a 2 metros...



  7. #87

  8. #88
    xargs -n 1 kill -9 Avatar de sergio
    Ingresso
    Jan 2004
    Localização
    Capital do Triângulo
    Posts
    5.202
    Posts de Blog
    9

    Padrão

    Citação Postado originalmente por johnicar Ver Post
    300/2400=12,5cm
    1/2 onda 12,5/2

    isso ai... velocidade da luz / freqüência em MHz

    Para saber qual o comprimento da onda em determinado canal, só fazer a conta. O Gilvan gosta de brincar com esses parâmetros.



  9. #89

    Padrão

    velocidade da luz
    - No espaço são 350.000 km/s
    - Na atmosfera são 300.000 km/s
    - Atravessando o vidro são 250.000 km/s
    - Atravessando a água são 200.000km/s

    prq so leva em conta os 300?

  10. #90

    Padrão

    e quais grandezas eu uso? km/s dividido por mhz?



  11. #91

  12. #92

    Padrão

    Salve galera, consultei meu professor de Geoprocessamento e Sensoriamento remoto e ele me passou os seguintes dados:
    l
    c--velocidade da luz, c = 2,998 x 10(a oitava potencia) m/s (no vácuo)
    l---> Comprimento de onda, l [m]
    n-->Frequência, n = c/l [s]

    alguem se dispoe a fazer as contas? segue em anexo uma tabelinha..
    Pelo que entendi nós usamos uma frequencia de microondas e nao uma frequência de rádio... Alguem pode opinar?

    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         espectro eletromagnetico.JPG
Visualizações:	219
Tamanho: 	32,4 KB
ID:      	4127  



  13. #93

    Padrão

    Citação Postado originalmente por fernandofiorentinn Ver Post
    achei algo interessante, só nao entendi direito Untitled
    Neste caso, a frequencia está relacionada com o som, música e coisas do gênero.

  14. #94

    Padrão

    Citação Postado originalmente por fernandofiorentinn Ver Post
    Salve galera, consultei meu professor de Geoprocessamento e Sensoriamento remoto e ele me passou os seguintes dados:
    l
    c--velocidade da luz, c = 2,998 x 10(a oitava potencia) m/s (no vácuo)
    l---> Comprimento de onda, l [m]
    n-->Frequência, n = c/l [s]

    alguem se dispoe a fazer as contas? segue em anexo uma tabelinha..
    Pelo que entendi nós usamos uma frequencia de microondas e nao uma frequência de rádio... Alguem pode opinar?

    Fernando, basicamente é os 300/frequencia.
    Mas se levarmos em conta as perdas sofridas no cabo, este valor de 300 varia para menor.
    Por ex. 285/frequencia, para os cabos de maior atenuação. Isto se quisermos ser "puristas" nos cálculos.



  15. #95

    Padrão

    Redes Wi-fi

    WIFI - Cursos de introdução - Solução

    nos artigos que encontrei, comprimento de onda sempre utilizando 300 como fator ...

    W = 300 / frequencia

    no caso da onda de 2.400mhz, 0.125 cm ou 125 mm ....

  16. #96

    Padrão

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Neste caso, a frequencia está relacionada com o som, música e coisas do gênero.
    frequencia é frequencia não é, não importa qual grandeza la na tabela esta cedida, hz, khz, mhz, ghz,thz sei lá..



  17. #97

    Padrão

    Citação Postado originalmente por johnicar Ver Post
    ...
    Podemos usar qualquer linha de qualquer impedancai desde que ela esteja sintonizada a multiplos de meia onda da frequencia , ja que ela se comporta nese caso como neutra, a impedancia que entra e a mesma que sai.
    ...
    Quando fiz o exame de radioamador uma das perguntas em radioeletricidade foi relacionada com isso.
    Qualquer cabo, com qualquer impedância serviria, desde que houvesse um perfeito casamento das impedancias de saida do rádio com a de entrada da antena. O cabo se comportaria como uma linha neutra.
    Mas no meio radioamadoristico está questão persite até hoje. Há os que juram que não dá certo e os que garantem que sim.
    Por via das dúvidas eu usava um acoplador de antenas, ou antenna turner, que me garantia o perfeito casamento, baixa ROE e maior rendimento na transmissão.
    Às vezes outro radioamador quando me visitava, dizia: você usa acoplador? seu sinal está preso, não sai, vai queimar ser rádio, etc, etc. Agora eu pergunto: porque a Kenwood fabrica um dos melhores acopladores de antena, inclusive automático? Será que a Kenwood está errada?

    Mas eu fiz a volta ao mundo assim. Teoria não sei muito, mas na prática funcionava muito bem.
    E acho que em 2.4 não deve ser muito diferente, só que como as medidas são menores, pode ser mais chato fazer estes ajustes. Mas o Gilvan garante que é assim. E quem já fez o curso dele, também. Acoplamento.

  18. #98

    Padrão

    certo, meia onda de 2.4 ghz, 12.248/2 =6,124 cm.
    Como chegaram ao cabo de 10m, que muitos dizem q não pode passar desse comprimento?
    em teoria 10m=1000cm / 6,124= 163,291xxxxxx multiplos de meia onda, mas é um numero quebrado...



  19. #99

    Padrão Acima de 1GHZ aki fala justamente o que estou falando

    Citação Postado originalmente por abelardo Ver Post
    Efeito skin : quanto mais alta a frequencia mais o sinal de propaga mais superficialmente. A camada de profundidade por onde o sinal de Rf se propaga é inversamente proporcional a frequência. Ou seja, não existe o limte de 1GHz para haver o efeito skin.

    Repito também que a densidade da malha não afeta a atenuação do sinal de RF, afeta apenas a blindagem eletromagnética, o resistência ôhmica para sinais de baixa frequência e a resistencia a torção e tensão sobre o conector.

    Sem muito bostejo, a atenuação do cabo de RF depende apenas das dimensões do cabo (diâmetro externo e diâmetro do condutor central) e do material dielétrico (o isolante entre os 2 condutores). A capacitância do cabo é função da contante de dielétrico e das dimensões do cabo .

    Um fato importante é que o se usar um cabo de 75 ohms num sistema de 50ohms vai haver reflexão de sinal tanto na saída do transmissor (entrada do cabo) e na interface cabo antena. Este sinal que é refletido volta para o transmissor do sinal podendo provocar a queima do transmissor, ou redução de vida do mesmo.

    Sobre o o 1GHZ aki fala justamente o que estou falando sobre o efeito SKIN... será se tem outras pessoas erradas como eu publicando materiais como esse, de forma errada... veja que quem montou esse material entende do assunto.
    http://www.producaoprofissional.com....1222804103.pdf

    veja onde fala justamente isso....

    Mas, enquanto que com sinais de freqüências baixas
    a corrente circula por toda a secção do fio, nas
    correntes alternadas de alta-freqüência essa circulação
    vai sendo feita pelo centro do condutor, concentrando-
    se, em função da freqüência, na sua periferia,
    num efeito denominado “efeito pelicular”.
    É por isso que, por exemplo, nos cabos que ligam
    os transmissores de UHF de média e alta potência
    ao sistema de antenas, o condutor central do cabo
    coaxial é um tubo. Mas este efeito pelicular só é
    predominante até cerca de 1 Ghz; a partir daí é o
    dielétrico o principal responsável pelas perdas no
    cabo, mas até a uniformidade e a densidade da
    malha da blindagem passam a ser importantes.

    Acho que nao temos que discutir.... ok? Não podem ignorar a qualidade de conhecimento da fonte.Não sou só eu que estou falando isso.

  20. #100

    Padrão EU JA FALEI E VOU REPETIR

    Citação Postado originalmente por nandofer Ver Post
    Sobre o o 1GHZ aki fala justamente o que estou falando sobre o efeito SKIN... será se tem outras pessoas erradas como eu publicando materiais como esse, de forma errada... veja que quem montou esse material entende do assunto.
    http://www.producaoprofissional.com....1222804103.pdf

    veja onde fala justamente isso....

    Mas, enquanto que com sinais de freqüências baixas
    a corrente circula por toda a secção do fio, nas
    correntes alternadas de alta-freqüência essa circulação
    vai sendo feita pelo centro do condutor, concentrando-
    se, em função da freqüência, na sua periferia,
    num efeito denominado “efeito pelicular”.
    É por isso que, por exemplo, nos cabos que ligam
    os transmissores de UHF de média e alta potência
    ao sistema de antenas, o condutor central do cabo
    coaxial é um tubo. Mas este efeito pelicular só é
    predominante até cerca de 1 Ghz; a partir daí é o
    dielétrico o principal responsável pelas perdas no
    cabo, mas até a uniformidade e a densidade da
    malha da blindagem passam a ser importantes.

    Acho que nao temos que discutir.... ok? Não podem ignorar a qualidade de conhecimento da fonte.Não sou só eu que estou falando isso.
    Mas este efeito pelicular só é
    predominante até cerca de 1 Ghz; a partir daí é o
    dielétrico o principal responsável pelas perdas no
    cabo, mas até a uniformidade e a densidade da
    malha da blindagem passam a ser importantes.
    Acho que não precisa questionar???

    EM 2.4 GHZ SE É O DIELETRICO, DIRETAMENTE É A CAPCITANCIA... POIS ELE QUEM DETERMINA O VALOR. DESDE A PRIMEIRA PAGINA DISSE ISSO AQUI.
    Última edição por nandofer; 29-04-2009 às 01:53.