Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Já havia olhado um vídeo de uns árabes (acho eu) sobre esse assunto mas, agora, olhando esse vídeo, pergunto: quantos milhares de reais seriam economizados?

    Alguém já fez ou tem algo desse tipo? Um motor magnético que, basicamente, é só fazer manutenção nas engrenagens. A vida útil das baterias seria muito maior por ter alimentação contínua, não?! Deixo para os experts no assunto. rs

    O que acham? Deixem seus comentários.

    Vídeos:



    Abraços.

  2. Sei lá cara. Eu tenho visto muitos projetos de motores magnéticos... Tem até aquele que é utilizado por um japonês numa moto... mas na prática mesmo, quase nada.


    Há aquele argumento de que fere os interesses dos grandes grupos... que os magnatas do petróleo estariam boicotando, etc etc.

    Mas por outro lado, vivemos numa época de muita independência e liberalidade. Acho que não seria mais possível impedir a aplicação da ciência no dia/dia. Alguma coisa a mais deve estar travando estes projetos que para muitos são mirabolantes.
    Tu conhece o ventilador de teto da KeepMotor?

    http://www.keppemotor.com/institucional/

    Eu tenho um aqui em casa faz um ano. Não sei o resultado sobre economia pois não medi nada.
    Mas uma dúvida que eu tenho. Porque estes caras, brasileiros, engenheiros não fizeram um motor 100% magnético. Eles utilizam o magnetismo com imãs de neodímio, mas também a energia elétrica. O resultado é uma economia de 90% segundo eles. Tem até um vídeo mostrando o ventilador sendo alimentado por uma bateria de 9 volts DC.
    Que eu saiba é a única empresa brasileira que está também no lado comercial com motores magnéticos. No cenário mundial também não se acha muita coisa já em escala industrial.
    Porque eles não aderiam totalmente ao magnetismo? Será que há algo que não sabemos nos aspectos técnicos/comerciais? Só a alegação de que os Trusts impedem não cabe mais no mundo moderno.
    Conhece esta outra fonte de energia? Motor a Ar Comprimido?

    http://www.mdi.lu/#!actualites/id031

    Este inventor tem dezenas de patentes negociadas mas esta ele segurou para ele. Já esteve com sua fábrica experimental na Espanha, agora já mudou para Luxemburgo que parece deu mais apoio.
    Faz uns 15 anos que acompanho os projetos dele e ainda não se concretizaram comercialmente.

    Tu já imaginou uma mistura destas duas tecnologias? Um motor Keppe que consome pouco energia, uma placa solar no teto do veículo para alimentar este motor keppe que por sua vez tocaria um compressor de ar para dar mais autonomia ao motor mdi?

    Ou até mesmo o carro 100% motor Keppe? Eles dizem que a tecnologia pode ser aplicada em todos os campos. Já fizeram testes com painel solar e bomba d'água.


    Ah! me lembrei de outro projeto: http://www.rarenergia.com.br/
    Dizem que é uma farsa. Mas estes caras são industriais, produtores de soja, tem empresa de grãos e lavouras nos Estados Unidos. São conhecidos no setor.
    Quem chega em Porto Alegre via terrestre conhece muito bem as instalações da Merlin, esmagadora de óleo, bem na chegada.
    Eles não iriam colocar a cabeça a prêmio, gastar fortunas para nada. Quando começaram o projeto até publicidade em jornal de grande circulação teve.

    Mas a verdade é que ficou só na iniciativa.

    Agora voltando a minha dúvida inicial. Porque estes projetos não vão a frente com a velocidade que gostaríamos?
    O Youtube está cheio de "projetos". Será que o problema estaria na produção do ima de neodímio? Haveria matéria prima suficiente no mundo para abastecer uma corrida mundial pelos produtos? sei lá. Mas algo tem aí que segura o setor, além do suposto boicote dos grandes trusts.

    Putz! falei de mais. Desculpe, mas o assunto é palpitante.



  3. Acho incrivel tantas publicaçoes sobre esse assunto de energia contínua e nao tem nenhum sistema comercializado.
    Esses sistemas parecem fotos de OVNI, nao tem nenhuma em alta resoluçao.

  4. Toda geração de força atrás da energia, ou de energia através da força, tem perdas. TODA.

    Você aplica 1cv em eletricidade num motor, mas ele desenvolve só 0,8cv de força.
    Você aplica 1cv de força num gerador, mas ele gera só 0,8cv em eletricidade.

    Não existe moto perpétuo por esse simples motivo, SEMPRE existirá atrito e rendimento bem abaixo de 100%.

    O que muitas dessas geringonças pra enganar trouxas faz é aumentar por mais tempo o movimento APARENTE de um esforço. Se girar com a mão uma roda de bicicleta você estará prolongado por talvez 1 minuto o esforço de 1 segundo. Mas... a força aplicada pra girar o pneu foi de digamos 0,05 joules, mas se fizer um gerador acoplado nessa roda pra aproveitar todo esse giro, ao longo de 1 minuto você "captará" digamos 0,04 joule.

    Se ficar construindo moto perpétuo não há economia, mas sim desperdício de dinheiro.

    Mais engana-trouxas que isso só o motor de carro ou moto funcionando com água, ou os geradores de HHO (Gerador que gasta 100W produz 1m³ de HHO por hora, e 1m³ de HHO alimenta um motor pequeno por talvez 10 minutos, já que motor a combustão tem rendimentos horríveis tipo 30%).


    Se colocar um imã e um enrolamento pra gerar energia, um moto contínuo que geralmente estende o giro inicial por 1 minuto, vai parar em talvez 10 segundos. Um gerador é uma coisa MUITO pesada, tem carro 1.0 que se ficar em marcha lenta (750rpm, digamos), e ligar os 2 faróis, dá pra ouvir uma leve queda na rotação, é o peso do alternador. Turbina hidrelétrica idem, se for num local com turbina pequeno tipo de 2kVA, ao ligar uma geladeira em casa você ouve a turbina desacelerando, porque a corrente de partida da geladeira é muito maior que a força que a água passando tem, o peso do dínamo é maior quando o consumo nele é maior.


    Os moto contínuos não vão apenas contra as leis auras da mecânica (Termodinâmica e cia), também ferem uma coisa básica que é a prática. É muito fácil fazer um vídeo de 30 segundos no Youtube com um pneu de bicicleta girando, você começa o vídeo, gasta 20s falando besteira, gira o pneu, diz que ele está mantendo a velocidade, fica 30s filmando a roda girando de vários ângulos, e termina dizendo que isso gerará energia continuamente, que é só dar um empurrão inicial que a roda gira eternamente. Os inventores disso curiosamente tem eletricidade vindo da rede elétrica da rua nas suas casas, dizem que fazem moto contínuos mas não são nem capazes de ligar um mísero dínamo e ir carregando umas baterias...

    Nem os brinquedos com isso funcionam muito tempo, esse aqui parece lindo nos primeiros segundos:

    Aos 9s de vídeos ele sobe pra caramba, mas aos 23s já está parando, ele prolonga o movimento inicial por mal e mal 15s, como a câmara está parada podemos ver, mas se a intenção for enganar trouxa é só sair movimentando a câmara pra quem assiste perder um ponto de referência e não conseguir notar a lenta redução na velocidade.

    Tem muita coisa que funciona no mundo real:

    - Se tiver uma fonte de calor e uma de frio pode fazer um motor stirling, um que gaste uns 20kg de ferragens diversas vai gerar uns 20W. Ou pode usar pastilhas de Peltier pra essa geração, mas elas tem rendimento pior, só que tem a vantagem de não exigir nada com movimento mecânico

    - Se tiver muito vento pode fazer um aerogerador.

    - Se tiver sol pode comprar umas células fotovoltaicas pra fazer um painel.

    - Se tiver uma queda d'agua pode pode uma mini turbina hidroelétrica com uma turbina Peltier (Nada a ver com as pastilhas de Peltier).

    - Se tiver um transformador da rede elétrica num poste bem perto (4m, digamos), dá pra aproveitar o campo magnético excedente dele e faz um enrolamento pra posicionar direito e captar de graça uns 1W...


    Mas tudo isso implica aproveitar uma energia existente, e todos eles tem rendimento ruim, o que é fácil colocar em qualquer canto do país é célula fotovoltaica, mas... o rendimento delas fica abaixo de 18%! Ou seja, chega em uma peça de 1m² de painel uma radiação equivalente a 1000W, esse o painel vai transformar em eletricidade apenas 180W! Se usar esses 180W pra acender uma lâmpada de 180W, o painel vai transformar a "luz" equivalente de 180W em 18% disso, ou seja, em 32W! E todo motor, captador, transformador, gerador, ou dínamo tem uma coisa boba que leigos esquecem: Rendimento. Nada disso tem rendimento de 100%, um gerador muito bom talvez chegue em 80% de rendimento.

    (Alias, até o corpo humano é um lixo em matéria de rendimento, comemos joules e joules de energia através de alimentos e líquidos, mas... o rendimento é de míseros 25%. Quase todo animal tem rendimento energético bem ruim, coisa tipo de 40% pra baixo. Aaaaaalias, moto contínuo é igual cachorro que come o próprio cocô, pra fazer 50g de cocô ele precisa comer uns 120g de comida, e se ele comer num dia apenas os 50g de cocô ele defecará talvez 40g mais tarde mas vai perder uns 20g de peso extra (Com transpiração e tal), em 2 dias não se nota diferença, mas o animal está definhando (Se fizer pro Youtube um vídeo de 30s sobre o cachorro que vive do próprio cocô muita gente deve acreditar...)



  5. Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Toda geração de força atrás da energia, ou de energia através da força, tem perdas. TODA.

    Você aplica 1cv em eletricidade num motor, mas ele desenvolve só 0,8cv de força.
    Você aplica 1cv de força num gerador, mas ele gera só 0,8cv em eletricidade.

    Não existe moto perpétuo por esse simples motivo, SEMPRE existirá atrito e rendimento bem abaixo de 100%.

    O que muitas dessas geringonças pra enganar trouxas faz é aumentar por mais tempo o movimento APARENTE de um esforço. Se girar com a mão uma roda de bicicleta você estará prolongado por talvez 1 minuto o esforço de 1 segundo. Mas... a força aplicada pra girar o pneu foi de digamos 0,05 joules, mas se fizer um gerador acoplado nessa roda pra aproveitar todo esse giro, ao longo de 1 minuto você "captará" digamos 0,04 joule.

    Se ficar construindo moto perpétuo não há economia, mas sim desperdício de dinheiro.

    Mais engana-trouxas que isso só o motor de carro ou moto funcionando com água, ou os geradores de HHO (Gerador que gasta 100W produz 1m³ de HHO por hora, e 1m³ de HHO alimenta um motor pequeno por talvez 10 minutos, já que motor a combustão tem rendimentos horríveis tipo 30%).


    Se colocar um imã e um enrolamento pra gerar energia, um moto contínuo que geralmente estende o giro inicial por 1 minuto, vai parar em talvez 10 segundos. Um gerador é uma coisa MUITO pesada, tem carro 1.0 que se ficar em marcha lenta (750rpm, digamos), e ligar os 2 faróis, dá pra ouvir uma leve queda na rotação, é o peso do alternador. Turbina hidrelétrica idem, se for num local com turbina pequeno tipo de 2kVA, ao ligar uma geladeira em casa você ouve a turbina desacelerando, porque a corrente de partida da geladeira é muito maior que a força que a água passando tem, o peso do dínamo é maior quando o consumo nele é maior.


    Os moto contínuos não vão apenas contra as leis auras da mecânica (Termodinâmica e cia), também ferem uma coisa básica que é a prática. É muito fácil fazer um vídeo de 30 segundos no Youtube com um pneu de bicicleta girando, você começa o vídeo, gasta 20s falando besteira, gira o pneu, diz que ele está mantendo a velocidade, fica 30s filmando a roda girando de vários ângulos, e termina dizendo que isso gerará energia continuamente, que é só dar um empurrão inicial que a roda gira eternamente. Os inventores disso curiosamente tem eletricidade vindo da rede elétrica da rua nas suas casas, dizem que fazem moto contínuos mas não são nem capazes de ligar um mísero dínamo e ir carregando umas baterias...

    Nem os brinquedos com isso funcionam muito tempo, esse aqui parece lindo nos primeiros segundos:

    Aos 9s de vídeos ele sobe pra caramba, mas aos 23s já está parando, ele prolonga o movimento inicial por mal e mal 15s, como a câmara está parada podemos ver, mas se a intenção for enganar trouxa é só sair movimentando a câmara pra quem assiste perder um ponto de referência e não conseguir notar a lenta redução na velocidade.

    Tem muita coisa que funciona no mundo real:

    - Se tiver uma fonte de calor e uma de frio pode fazer um motor stirling, um que gaste uns 20kg de ferragens diversas vai gerar uns 20W. Ou pode usar pastilhas de Peltier pra essa geração, mas elas tem rendimento pior, só que tem a vantagem de não exigir nada com movimento mecânico

    - Se tiver muito vento pode fazer um aerogerador.

    - Se tiver sol pode comprar umas células fotovoltaicas pra fazer um painel.

    - Se tiver uma queda d'agua pode pode uma mini turbina hidroelétrica com uma turbina Peltier (Nada a ver com as pastilhas de Peltier).

    - Se tiver um transformador da rede elétrica num poste bem perto (4m, digamos), dá pra aproveitar o campo magnético excedente dele e faz um enrolamento pra posicionar direito e captar de graça uns 1W...


    Mas tudo isso implica aproveitar uma energia existente, e todos eles tem rendimento ruim, o que é fácil colocar em qualquer canto do país é célula fotovoltaica, mas... o rendimento delas fica abaixo de 18%! Ou seja, chega em uma peça de 1m² de painel uma radiação equivalente a 1000W, esse o painel vai transformar em eletricidade apenas 180W! Se usar esses 180W pra acender uma lâmpada de 180W, o painel vai transformar a "luz" equivalente de 180W em 18% disso, ou seja, em 32W! E todo motor, captador, transformador, gerador, ou dínamo tem uma coisa boba que leigos esquecem: Rendimento. Nada disso tem rendimento de 100%, um gerador muito bom talvez chegue em 80% de rendimento.

    (Alias, até o corpo humano é um lixo em matéria de rendimento, comemos joules e joules de energia através de alimentos e líquidos, mas... o rendimento é de míseros 25%. Quase todo animal tem rendimento energético bem ruim, coisa tipo de 40% pra baixo. Aaaaaalias, moto contínuo é igual cachorro que come o próprio cocô, pra fazer 50g de cocô ele precisa comer uns 120g de comida, e se ele comer num dia apenas os 50g de cocô ele defecará talvez 40g mais tarde mas vai perder uns 20g de peso extra (Com transpiração e tal), em 2 dias não se nota diferença, mas o animal está definhando (Se fizer pro Youtube um vídeo de 30s sobre o cachorro que vive do próprio cocô muita gente deve acreditar...)
    Grande Rubem, valeu a pena ter parado pra ler.

  6. Grande aula, @rubem! Como sempre você!

    Agora, uma pergunta: sobre esses motores "Bedini", você acha que é possível aplicarmos 12v num motor menor para rodar o disco e termos 270v de volta atrás do disco, no dínamo? Dê sua opinião, por favor.

    Grande abraço!




  7. eu não tenho ideia formada mas tenho muita curiosidade. Minha mente de estudante do 2º grau foi formada em cima da impossibilidade do moto continuo... o que é perfeitamente aceito sem questionamento. Se há trabalho há perda de energia em algum ponto. Pacífico.

    Agora a minha curiosidade é que naquela época do 2º grau não havia a questão do imã de neodimio. Quando se acrescenta esta "força" extra num projeto daí não dá mais para falar em moto contínuo visto que novas forças entram no esquema.
    Ah! tem a questão da polaridade que acaba neutralizando o movimento pois os imãs também tendem a se equilibrar...

    No caso de um projeto misto onde é injetada energia elétrica no conjunto para desequilibrar a atração dos imãs não dá para falar em moto contínuo, visto que há um consumo de energia elétrica.
    O ventilador de teto com o Keppe Motor que comprei se baseia neste princípio. Não há como classifica-lo que moto contínuo mas sim de economia de energia. Eu não desmontei para ver por dentro mas me parece que é uma aplicação prática de um motor Bedini.
    Segundo os idealizadores do Keppe Motor, ele pode ser aplicado em todas as situações. E já está no mercado.

    Eu, como curioso e autodidata gostaria de pegar um projeto desses e tentar fazer algo para tirar minhas dúvidas. Minha mente de tempo de estudante me diz que é impossível, mas minha curiosidade me cutuca. Só não fiz ainda porque precisaria de alguém com torno mecânico para produzir as peças necessárias. E isso esta difícil. Torneiro por aqui só quer fazer manutenção de máquinas agrícolas.
    Queria ver de perto esta questão do rendimento, da capacidade de torque para girar um gerador, etc etc.
    Afinal, minha curiosidade é desmentir os projetos ou desmistificar as críticas. Entrar com mente aberta pronto para perder se preciso for. Mas sinceramente, esbarro num torneiro mecânico. kkk
    Tentar entender os motivos pelos quais projetos comerciais são inexistentes ou tão poucos.
    Às vezes eu penso que Nikola Tesla não podia ter morrido.... o mundo poderia ser outro hoje..

  8. eu sou que nem tome so acredito vendo.
    outra coisa que me encuca que ainda não procurei explicação pratica, algumas vezes ja ganhei choque num simples relê quando ligava ele numa bateria de 9v. alguem ja aconteceu isso?



  9. Penso igual ao @rubem, se quer economizar na energia, porque não apostar em aerogeradores ou em energia solar?
    Talvez um projeto hibrido com esses 2 "coletores" se complementando é praticamente impossível ficar sem energia, pois quando não tem sol por grande período de chuva, o vento está lá, firme e forte.
    Lembrando que no mercado temos muito equipamentos já testados nessas tecnologias, por mais que ainda custem caro, com certeza sairá mais barato do que "tentar" inventar uma tecnologia nova, amadurece-la e por em produção.

  10. Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Afinal, minha curiosidade é desmentir os projetos ou desmistificar as críticas. Entrar com mente aberta pronto para perder se preciso for.
    Olha, a minha curiosidade BERRA! kkkkkkkk

    Citação Postado originalmente por admirsch Ver Post
    Lembrando que no mercado temos muito equipamentos já testados nessas tecnologias, por mais que ainda custem caro, com certeza sairá mais barato do que "tentar" inventar uma tecnologia nova, amadurece-la e por em produção.
    Pois é, @admirsch... os valores ainda são muito elevados. Em outros países, desenvolver/importar esse tipo de tecnologia é muito incentivado, em ambos os aspectos. Aqui, não. =/



  11. Citação Postado originalmente por surfinhu Ver Post
    Olha, a minha curiosidade BERRA! kkkkkkkk
    Pois é, @admirsch... os valores ainda são muito elevados. Em outros países, desenvolver/importar esse tipo de tecnologia é muito incentivado, em ambos os aspectos. Aqui, não. =/
    Mas acredito que esse cenário vá mudar logo, pois o BNDES já está olhando com carinho pra isso.

    Veja os links:
    http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bn...420_solar.html

    http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bn...vaenergia.html

  12. O problema é misturar os assuntos, converter alguma energia presente (Radiação solar, vento, força hidroelétrica, diferença de temperatura) em eletricidade é BILHÕES de vezes diferente de "gerar energia de graça". Converter é diferente de produzir a partir do nada.

    Moto contínuo não tem NADA a ver com outra fonte de energia, nada a ver com solar, eólica, hidroelétrica, menos ainda a ver com motores de Peltier e etc. Moto contínuo promete força a partir do nada, transformar 1 joule de força em 10 joules.




    O problema do motor de Bedini é que ele usa consumo em pulsos. Apesar de uns idiotas ficarem com papinho noob tipo "Eles não querem que você saiba, por isso não tem informaçãoes na web" é só googlar que se acha uma duzia de opções de circuito:
    https://www.google.com.br/search?q=b...=lnms&tbm=isch

    Basicamente o LM555 dá pulsos de consumo, libera tipo PWM (Mas de largura fixa) a alimentação pra espira. E... multímetro é péééééssimo com sinais variando, medir PWM com multímetro é simplesmente bobeira, nem um multímetro TRUERMS mediria com precisão, precisa osciloscópio ou um circuito que acompanhe a queda de tensão na bateria pra definir quanto dela está sendo consumido.

    Pra fazer esse suposto circuito que "transforma" 12W em 270W gasta o que, R$ 30? (Não precisa inversor) 270W em 24h dá 6,4kWh.dia, dá 192kWh no mês, metade das residências no Brasil gasta até menos que isso! Se essa baboseira funcionasse, quem constrói isso devia pelo menos colocar um desse na casa de uma tia ou avó que sofre pra pagar R$ 90 de conta de luz (Faz um LM555 acionando um rele em 30 minutos, com 2 baterias, um carregando e outra alimentando o circuito, e vai alternando pelo rele que o LM555 fecha ou abre. Se o consumo é de 12W vindo da bateria, precisaria menos de 16W pra carregar outra bateria, digamos que sobram 250Wh pra consumo, dá pra uma geladeira pequena, uma TV, um ventilador de mesa, umas lâmpadas. Mas quem constrói isso não usa nem em casa, só faz teste de poucos minutos pra fazer vídeo, se engana com valor que multímetro NÃO-truerms mede, e não faz teste real com consumo na saída.

    (Bota uma lâmpada incandescente de 100W onde supostamente teriam 277W pra ver se a carga resistiva não faz a tensão cair pra quase nada! Medir tensão em circuito aberto é coisa bem amadora, isso só se faz quando a intenção é enganar, ou quando não se sabe o que está fazendo)

    Você pode usar um joule thief pra pegar toda a energia de 1 pilha e até converter pra 10V, ou pode usar ela pra gerar picos de tensão mais alta tipo 200V, isso não é difícil (Alias, taser (Arma de choque) usa bateria de 9V, o circuito que inverte pra mais de 600V drena ela em segundos caso haja consumo nessa saída de alta tensão (Soltar faísca no ar não é consumo, consumo é ligar numa lâmpada fluorescente tubular, uma de 16W ioniza com 600V, veja quantos 3 segundos uma bateria de 9V mantém uma dessa acesa num taser comum), é um circuito simples e fácil de achar). Mas ter alta tensão não tem NADA a ver com ter alta potência, dá pra carregar um campo magnético de uma bobina e tirar picos de alta tensão (Pra dar um choque) até com pilha de relógio de 1,5V que tem mal e mal 3mm de diâmetro. 1,5V 10mA é 1,5 * 0,001 = 0,0015W. Se passar pra 200V pra dar choque, 0,0015W / 200V = 0,000007mA de corrente. Se pegar nalguns pontos da pele com maior condutividade (Local úmido tipo boca, ou pele macia) isso será um choque incômodo, mas estamos falando de um pico de poucos milisegundos.


    Flash de máquina fotográfica por muitos anos usava 1 ou 2 pilhas AA ou AAA, e eles acionam uma lâmpada de neon de brilho alto. Basicamente um inversor ficava carregando um capacitor de 400V ao longo de quase 10 segundos, e quando você apertava o botão ele descarregava os 400V do capacitor na lâmpada de neon, dava uma piscada de algo tipo 30mS (Ou seja, o circuito consumia por 10s carregando o capacitor, que se descarregava na lâmpada gerando luz por 0,03s). Lembro de aparelho que falava coisa tipo "Até 100 fotos por par de pilhas". Oras, de multiplicas, 100 * 0,03 = 3s de luz com um par de pilhas! Não é porque tem picos de alta tensão que isso implique em ter alta tensão por um período prolongado. Um leve choque nalgum circuito a pilha é perfeitamente possível se tiver bobinas no circuito, e se tocar nalguns pontos da pele (Colocar a língua numa bateria 9V dói, mas tocas os dedos não, e isso tem a ver com a resistência da pele, na língua a resistência é mais baixa, há o choque com tensão muuuuuuito mais baixa, e isso também não tem nada a ver com transformação de energia, apenas de que é muito fácil enganar um noob com um circuito que passa de 1V pra 9V em eletrodos na língua, depois de levar um choque na língua qualquer noob acredita que foi um choque de 127V e que poderia alimentar uma casa toda).




    Agora esquecendo esses fakes pra enganar trouxa e vender kits, gerar eletricidade a parte de algumas fontes de energia é complicado. Se tiver uma fonte de calor há uma energia térmica gigantesca, um fogão a lenha na roça tem joules e joules, mas... a conversão hoje terá rendimento muito baixo. Motor Stirling e pastilhas de Peltier, é o que temos hoje. Fazer um motor Stirling girar é muito simples, mas o torque é minúsculo, se colocar um magneto qualquer (Pode ser neodímio, tanto faz) ao passar na frente da bobina, se houver uma carga resistiva nessa bobina (Ou seja, algo consumindo a energia gerada) ela dá uma freada no ímã passando, reduz a velocidade. Se a cada passada do ímã há uma freada, em 2 ou 3s o motor para. Se afastar a bobina o arrasto é menor, se afastar o suficiente não há diminuição significativa na velocidade, mas... gera quanto? No caso do motor stirling do Manual do Mundo no Youtube duvido que gere 0,3Wh.

    Aerogerador teria tudo pra ser ótimo, mas... geralmente em baixa velocidade (Com vento tipo 3m/s) a geração é minúscula, só há geração significativa com ventos tipo 7 ou 8m/s (Um vento razoável), ter rajadas assim não adianta, pra gerar 5kWh por dia num aerogerador de R$ 2 mil precisa uma média de 5m/s de vento, e se for contar com rajadas de 10m/s, precisa 3 HORAS CONTÍNUAS de vento a 10m/s (Uns 36km/h, anda de carro ou moto a 36km/h e põe a mão pra fora/pro alto pra sentir que vento é isso, se uma leve brise chega perto disso) pra chegar nesses 5kWh.dia (Valor que dá 150kWh no mês, que provavelmente é muito menos que todo mundo aqui no fórum consome na conta de luz). Tem vendedor que vem com papinho tipo "A 500RPM meu gerador fornece 1000W". Pombas... mas que vendaval precisa pra fazer chegar a 500RPM? O design das pás muda o aproveitamento, precisa informar a produção conforme o vendo, quantos watts a cada velocidade (Em m/s ou km/h) há geração, tem que fazer tabela tipo:
    http://us00.i.aliimg.com/img/pb/545/...155545_960.jpg

    Ou pelo menos informar valores típicos, tipo 150W a 5m/s, 500W a 10m/s, etc. Porque tem muito leigo comprando aerogerador de 2000W sem ver isso, e só depois descobre que esse aerogerador com vento de 5m/s gera mal e mal 200W, e... 5m/s é a média de vento em talvez 80% do Brasil, 5m/s é suficiente pra alguém parar de suar quando senta na varanda, é um vento que eu queria ter na minha varanda, mas é uma vento ridiculamente baixo pra quase todo gerador eólico a venda.

    Digo isso porque "projeto de gerador de X mil watts" é um item bastante vendido num sites de ecommerce. Muito leigo compra (Como se não houvessem centenas de projetos abertos publicados na web disponíveis de graça) achando que vai resolver toda a sua conta de luz, ou achando que vai ligar o aerogerador na tomada e ele vai milagrosamente gerar 127VAC na fase certinha pra alimentar uns eletrodomésticos. Pessoal que economizar dinheiro mas não quer gastar neurônio, é justo que desperdicem dinheiro com kits e bugigangas feitas pra enganar. No caso dos aerogeradores e painéis fotovoltaicos muita gente compra errado porque SE enganou, não leu dado técnico e achou que geração de pico (Um pico de 2000W num aerogerador, ou de 100W num painel fotovoltaico) é a média, ou achou que teria sol no ângulo certo umas 12h por dia, ou que teria vento suficiente mais que umas 10h por SEMANA. Se enganar comprando esses equipamentos insuficientes não tem nada a ver com ser trouxa de acreditar em moto contínuo/perpétuo, um caso é desinformação e o outro é burrice mesmo.

    (Digo que é burrice porque já ouvi sobre motor de Bedini absurdo tipo "Meu nobreak passa de 12V pra 220V, então porque o motor de Bedini não pode passar de 12W pra 220W?". E pra mim a burrice é a preguiça de se informar, tem milhares de projetos desses motores de bedini na web, e outros milhares de apostilas, cursos e conteúdos de eletrônica e física, não é difícil tirar 1h por noite pra ler sobre isso e entender como se engana um multímetro comum com pulsos e picos intervalados, e a bobeira de medir tensão em circuito aberto, sem consumo)



  13. Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    O problema é misturar os assuntos, converter alguma energia presente (Radiação solar, vento, força hidroelétrica, diferença de temperatura) em eletricidade é BILHÕES de vezes diferente de "gerar energia de graça". Converter é diferente de produzir a partir do nada.

    Moto contínuo não tem NADA a ver com outra fonte de energia, nada a ver com solar, eólica, hidroelétrica, menos ainda a ver com motores de Peltier e etc. Moto contínuo promete força a partir do nada, transformar 1 joule de força em 10 joules.




    O problema do motor de Bedini é que ele usa consumo em pulsos. Apesar de uns idiotas ficarem com papinho noob tipo "Eles não querem que você saiba, por isso não tem informaçãoes na web" é só googlar que se acha uma duzia de opções de circuito:
    https://www.google.com.br/search?q=b...=lnms&tbm=isch

    Basicamente o LM555 dá pulsos de consumo, libera tipo PWM (Mas de largura fixa) a alimentação pra espira. E... multímetro é péééééssimo com sinais variando, medir PWM com multímetro é simplesmente bobeira, nem um multímetro TRUERMS mediria com precisão, precisa osciloscópio ou um circuito que acompanhe a queda de tensão na bateria pra definir quanto dela está sendo consumido.

    Pra fazer esse suposto circuito que "transforma" 12W em 270W gasta o que, R$ 30? (Não precisa inversor) 270W em 24h dá 6,4kWh.dia, dá 192kWh no mês, metade das residências no Brasil gasta até menos que isso! Se essa baboseira funcionasse, quem constrói isso devia pelo menos colocar um desse na casa de uma tia ou avó que sofre pra pagar R$ 90 de conta de luz (Faz um LM555 acionando um rele em 30 minutos, com 2 baterias, um carregando e outra alimentando o circuito, e vai alternando pelo rele que o LM555 fecha ou abre. Se o consumo é de 12W vindo da bateria, precisaria menos de 16W pra carregar outra bateria, digamos que sobram 250Wh pra consumo, dá pra uma geladeira pequena, uma TV, um ventilador de mesa, umas lâmpadas. Mas quem constrói isso não usa nem em casa, só faz teste de poucos minutos pra fazer vídeo, se engana com valor que multímetro NÃO-truerms mede, e não faz teste real com consumo na saída.

    (Bota uma lâmpada incandescente de 100W onde supostamente teriam 277W pra ver se a carga resistiva não faz a tensão cair pra quase nada! Medir tensão em circuito aberto é coisa bem amadora, isso só se faz quando a intenção é enganar, ou quando não se sabe o que está fazendo)

    Você pode usar um joule thief pra pegar toda a energia de 1 pilha e até converter pra 10V, ou pode usar ela pra gerar picos de tensão mais alta tipo 200V, isso não é difícil (Alias, taser (Arma de choque) usa bateria de 9V, o circuito que inverte pra mais de 600V drena ela em segundos caso haja consumo nessa saída de alta tensão (Soltar faísca no ar não é consumo, consumo é ligar numa lâmpada fluorescente tubular, uma de 16W ioniza com 600V, veja quantos 3 segundos uma bateria de 9V mantém uma dessa acesa num taser comum), é um circuito simples e fácil de achar). Mas ter alta tensão não tem NADA a ver com ter alta potência, dá pra carregar um campo magnético de uma bobina e tirar picos de alta tensão (Pra dar um choque) até com pilha de relógio de 1,5V que tem mal e mal 3mm de diâmetro. 1,5V 10mA é 1,5 * 0,001 = 0,0015W. Se passar pra 200V pra dar choque, 0,0015W / 200V = 0,000007mA de corrente. Se pegar nalguns pontos da pele com maior condutividade (Local úmido tipo boca, ou pele macia) isso será um choque incômodo, mas estamos falando de um pico de poucos milisegundos.


    Flash de máquina fotográfica por muitos anos usava 1 ou 2 pilhas AA ou AAA, e eles acionam uma lâmpada de neon de brilho alto. Basicamente um inversor ficava carregando um capacitor de 400V ao longo de quase 10 segundos, e quando você apertava o botão ele descarregava os 400V do capacitor na lâmpada de neon, dava uma piscada de algo tipo 30mS (Ou seja, o circuito consumia por 10s carregando o capacitor, que se descarregava na lâmpada gerando luz por 0,03s). Lembro de aparelho que falava coisa tipo "Até 100 fotos por par de pilhas". Oras, de multiplicas, 100 * 0,03 = 3s de luz com um par de pilhas! Não é porque tem picos de alta tensão que isso implique em ter alta tensão por um período prolongado. Um leve choque nalgum circuito a pilha é perfeitamente possível se tiver bobinas no circuito, e se tocar nalguns pontos da pele (Colocar a língua numa bateria 9V dói, mas tocas os dedos não, e isso tem a ver com a resistência da pele, na língua a resistência é mais baixa, há o choque com tensão muuuuuuito mais baixa, e isso também não tem nada a ver com transformação de energia, apenas de que é muito fácil enganar um noob com um circuito que passa de 1V pra 9V em eletrodos na língua, depois de levar um choque na língua qualquer noob acredita que foi um choque de 127V e que poderia alimentar uma casa toda).




    Agora esquecendo esses fakes pra enganar trouxa e vender kits, gerar eletricidade a parte de algumas fontes de energia é complicado. Se tiver uma fonte de calor há uma energia térmica gigantesca, um fogão a lenha na roça tem joules e joules, mas... a conversão hoje terá rendimento muito baixo. Motor Stirling e pastilhas de Peltier, é o que temos hoje. Fazer um motor Stirling girar é muito simples, mas o torque é minúsculo, se colocar um magneto qualquer (Pode ser neodímio, tanto faz) ao passar na frente da bobina, se houver uma carga resistiva nessa bobina (Ou seja, algo consumindo a energia gerada) ela dá uma freada no ímã passando, reduz a velocidade. Se a cada passada do ímã há uma freada, em 2 ou 3s o motor para. Se afastar a bobina o arrasto é menor, se afastar o suficiente não há diminuição significativa na velocidade, mas... gera quanto? No caso do motor stirling do Manual do Mundo no Youtube duvido que gere 0,3Wh.

    Aerogerador teria tudo pra ser ótimo, mas... geralmente em baixa velocidade (Com vento tipo 3m/s) a geração é minúscula, só há geração significativa com ventos tipo 7 ou 8m/s (Um vento razoável), ter rajadas assim não adianta, pra gerar 5kWh por dia num aerogerador de R$ 2 mil precisa uma média de 5m/s de vento, e se for contar com rajadas de 10m/s, precisa 3 HORAS CONTÍNUAS de vento a 10m/s (Uns 36km/h, anda de carro ou moto a 36km/h e põe a mão pra fora/pro alto pra sentir que vento é isso, se uma leve brise chega perto disso) pra chegar nesses 5kWh.dia (Valor que dá 150kWh no mês, que provavelmente é muito menos que todo mundo aqui no fórum consome na conta de luz). Tem vendedor que vem com papinho tipo "A 500RPM meu gerador fornece 1000W". Pombas... mas que vendaval precisa pra fazer chegar a 500RPM? O design das pás muda o aproveitamento, precisa informar a produção conforme o vendo, quantos watts a cada velocidade (Em m/s ou km/h) há geração, tem que fazer tabela tipo:
    http://us00.i.aliimg.com/img/pb/545/...155545_960.jpg

    Ou pelo menos informar valores típicos, tipo 150W a 5m/s, 500W a 10m/s, etc. Porque tem muito leigo comprando aerogerador de 2000W sem ver isso, e só depois descobre que esse aerogerador com vento de 5m/s gera mal e mal 200W, e... 5m/s é a média de vento em talvez 80% do Brasil, 5m/s é suficiente pra alguém parar de suar quando senta na varanda, é um vento que eu queria ter na minha varanda, mas é uma vento ridiculamente baixo pra quase todo gerador eólico a venda.

    Digo isso porque "projeto de gerador de X mil watts" é um item bastante vendido num sites de ecommerce. Muito leigo compra (Como se não houvessem centenas de projetos abertos publicados na web disponíveis de graça) achando que vai resolver toda a sua conta de luz, ou achando que vai ligar o aerogerador na tomada e ele vai milagrosamente gerar 127VAC na fase certinha pra alimentar uns eletrodomésticos. Pessoal que economizar dinheiro mas não quer gastar neurônio, é justo que desperdicem dinheiro com kits e bugigangas feitas pra enganar. No caso dos aerogeradores e painéis fotovoltaicos muita gente compra errado porque SE enganou, não leu dado técnico e achou que geração de pico (Um pico de 2000W num aerogerador, ou de 100W num painel fotovoltaico) é a média, ou achou que teria sol no ângulo certo umas 12h por dia, ou que teria vento suficiente mais que umas 10h por SEMANA. Se enganar comprando esses equipamentos insuficientes não tem nada a ver com ser trouxa de acreditar em moto contínuo/perpétuo, um caso é desinformação e o outro é burrice mesmo.

    (Digo que é burrice porque já ouvi sobre motor de Bedini absurdo tipo "Meu nobreak passa de 12V pra 220V, então porque o motor de Bedini não pode passar de 12W pra 220W?". E pra mim a burrice é a preguiça de se informar, tem milhares de projetos desses motores de bedini na web, e outros milhares de apostilas, cursos e conteúdos de eletrônica e física, não é difícil tirar 1h por noite pra ler sobre isso e entender como se engana um multímetro comum com pulsos e picos intervalados, e a bobeira de medir tensão em circuito aberto, sem consumo)
    Outra aula!


  14. Esse caso do "Keppe" é complicado, tem essa baboseira toda sobre metafísica (Putz, e eu fiz 4 períodos de teologia, depois uns de letras, história, e até administração, eu devia gostar de encheção de linguiça sem utilidade nenhuma) que complica tudo.

    Mas esse está mais perto da realidade.

    Na prática só tem ventilador de teto a venda com eles. E o mercado de ventiladores de teto é cheio de lixos que se focam em futilidades tipo estilo ou design. Tem de fato muito lixo consumindo 130W e dando só 1,5m³ por segundo de vento.

    Mas... também não é assim que TODO modelo é assim. A MINORIA hoje é uma lixo, tem muito ventilador ótimo, a Hunter faz ventilador de teto a mais de 1 século e na maioria dos modelos a velocidade baixa gasta só 10W, e circula 1m³ por segundo!

    O modelo com esse Keppe que tem 0,9m³ por segundo de vento circulando consome 3,2W. Em baixa velocidade sempre foi difícil ventilador de teto ter bom rendimento porque eles são feitos pra uso na alta velocidade, e o rendimento (m³ de vento por watt consumidos) dos ventiladores com keppe motor em alta velocidade é 4x pior que em baixa velocidade! Esse sistema deles tem rendimento fantástico apenas em baixa velocidade, na alta velocidade eles ficam nos 0,09m³/s que é a mesma eficiência de uns Hunter em baixa velocidade.

    Eu SUSPEITO que esses Keppe tem rendimento melhor em baixa velocidade porque o fator de potência é baixo nesse uso. Com um fator de potência de 0,25 o equipamento consome 10VA mas apenas 2,5W! Se o fator de potência em outra velocidade for de 0,75 ele consome 33VA ou 25W.

    A explicação mais divertida sobre o que é o fator de potência é com cerveja:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         aumento-fator-de-pontecia.jpg
Visualizações:	42
Tamanho: 	54,4 KB
ID:      	64677
    http://www.empalux.com.br/images/not...e-pontecia.jpg

    Essa é minha suspeita pro alto rendimento POR WATT nas baixas velocidades.
    O rendimento de 0,09m³/s por watt que eles tem na alta velocidade acho plenamente possível e até comum, vários fabricantes tem eficiência similar nalguma ou outra velocidade.

    Como eles não divulgam qual é o fator de potência dos ventiladores ( http://produto.mercadolivre.com.br/M...eppe-motor-_JM ) fica complicado, mas o vento deles na velocidade mais alta, com 28W de consumo, acho plenamente aceitável, esse mercado de ventiladores tem muita porcaria de baixo rendimento mesmo.

    Mas ainda prefiro os Hunter, na velocidade baixa consome 10W, mas se quiser sair voando é só colocar na velocidade mais alta, que chega a mais de 3m³/s de vento!


    No caso do motor 24V deles, ainda não tem a venda pelo visto, seria esse:
    http://www.keppemotor.com/institucio...pemotor-solar/
    (Eles comparam com modelo com uso de inversor, mas tem que levar pro hospício quem usa energia solar e inversores. Qualquer provedor com juízo já usa 12V, 24V ou 48VDC direto nos equipamentos, sem inversor, desde sempre, e não sai por aí dizendo que está "salvando a natureza"...)

    E não tem nada de fantástico a princípio, consome 24W mas... já tem a venda ventilador de teto de baixa tensão com consumo nessa casa, esse consome 25W e é 12V, também dá pra dizer que a água é molhada, digo, que não precisa inversor:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...tovoltaico-_JM

    Na verdade me surpreendi com o vento dessa porqueirinha:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...inel-solar-_JM
    Por 5W de consumo isso faz um ventinho legal! (Vai demorar pra parar de suar, mas poxa, são 5W!)

    Sacanagem eles não informarem a vazão (Em m³/s, ou em pés cubicos por minutos (Cubit feet per minute, CFM nos fan's de coolers em informática, fácil converter os 2: http://www.calculatoredge.com/optica...air%20flow.htm ), mas um ventinho tipo 0,8m³/s é o normal de ventilador de mesa em velocidade ALTA, a diferença é que ventilador de teto fica no alto mais longe das pessoas, eles precisam vazão maior pra sentir o vento mas em alguns ambientes a velocidade baixa dos ventiladores de teto é suficiente. Esse 12V 5W parece ter uns 0,4m³/s, é basicamente o mesmo que ventilador de mesa de 30cm em velocidade baixa, pra quem está a 1m de distância tá ok.



    Sobre o motor mais parudo que a keppe diz ter desenvolvido:
    http://www.keppemotor.com/institucio...motor-de-1-cv/

    Tem um pouco de exagero, eles escolheram os motores WEG de pior rendimento pra comparar! A WEG também tem linha de alto rendimento, o modelo de 1cv da linha alto rendimento tem rendimento de 81%. Na página 24 do PDF tem o rendimento dele:
    http://www.coe.ufrj.br/~richard/Acio...%20Motores.pdf

    Passar de 81 pra 88% de rendimento é de fato uma melhoria, mas... isso não é nada nem perto de "90% de economia".
    90% de economia existe até quando você troca um velho LorenSid que gasta 130W por um Hunter e usa em velocidade baixa gastando 10W, e a Hunter nem faz propaganda do modo de baixa velocidade dos modelos de 5 pás dela (Putz, 1m³/s é vento pra caramba pra um ambiente comum doméstico!).

    O motor de 1cv com rendimento de 88% é aceitável, o ventilador com 2,6m³/s de vento gastando 28W é aceitável, mas essa lenga-lenga de nova física não dá, precisa fumar alguma coisa pra ter saco pra ler isso. Digamos que nos ventiladores de teto ela está fazendo o que uns fabricantes não tiveram culhões, esquecer custo e firulas tipo visual pra se focar em rendimento.

    (Exceto se a pegadinha do vento em baixas velocidades for o fator de potência bem baixo tipo 0,2 ou 0,3, essa parte dos ventiladores deles eu não comprei, talvez 0,1m³/s por watt eu tope, mas eles falam em 0,4m³/s por watt, isso é demais, eu acredito piamente que tem uma pegadinha nessa parte, tipo um fator de potência de 0,95 na alta velocidade mas caindo pra 0,3 na baixa velocidade. Sempre que colocam essas lenga-lengas místicas e comparações com defuntos (Tesla, Newton...) é um argumento emprestando autoridade alheia, "Tesla foi um gênio incompreendido no seu tempo então eu também o serei", pra mim perde totalmente a credibilidade quando sai da ficha técnica do aparelho. E... nesse caso o fator de potência não é informado na ficha técnica. GERALMENTE o tipo de motor em ventilador tem FP nuns 0,6 ou 0,65, mas em baixa velocidade é normal realmente ele cair pra 0,3, digamos nos que em alta velocidade usa um capacitor de 6uF e em baixa um de 2uF. A rotação reduz, reduz o consumo, mas o fator de potência reduz também, e se ele é baixo a potência em VA é muuuuito maior que em W, aí fica fácil ter maior vazão de ar por watt consumido)

  15. olá amigos, tem uma empresa se não me engano argentina que vende ventiladores de teto com esta tecnologia, detalhe não usa fio algum, interage com a gravidade, quando liga ele desce como se fosse um degrau aproximando os imas e iniciando sua reação, e assim que inicia ele passa a girar e ventilar, na segunda velocidade ele desce mais um degrau, para parar basta puxar novamente a cordinha que move uma catraca e ele muda de posição distanciando os imas de forma a não sofrer interferência dos imas e para, bom o maior problema é que os imas esquenta e perde seu efeito não estou falando do ventilados, e sim de geradores, os neodímios são mais fortes na ação porem mais fracos na resistência, exemplo disto que os videos de carros e motos são sempre curtos, não se ver nego falando que foi de uma cidade a outra ou algo do tipo, o que atrapalha o setor é o valor dos imas, um detalhe ima é uma das coisas mais abundantes da terra pois é ferro, https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8D..._neod%C3%ADmio outra coisa é que ele realmente gera mais do que gasta porem é muito pouco a mais , teria que ser uma engrenagem muito grande e cara para poder tocar alguma coisa realmente interessante, é mais vantagem uma roda gravitacional ligado a um motor 24v ou 12v com controladores e inversores acoplado a baterias para guardar o excedente para a hora que precisar mais do que o que é gerado e digamos filtrar picos e deficiências . esta roda é muito fácil de fazer, já existe a mais de 200 anos, foi usada para moer cereais porem pouca gente conhece. pode ser uma solução para coisas que não se move como tocar algo para gerar energia para aparelhos, criação do gênio leonardo da vinci´s










    este assunto é muito interessante,

  16. interessante estas informações sobre o neodímio.
    Será que uma produção de 50mil toneladas seria suficiente para abastecer um mercado mundial sedento por energia, se levar em conta que segundo comentaram o rendimento é pequeno e precisaria enormes massas de neodímio para se ter algo prático? Ferro como disseram tem de sobra. Mas neodímio até hoje não se encontrou jazidas enormes. São pequenas e espalhadas pelo mundo o que tornaria muito caro uma exploração comercial em larga escala. Mas nada que não possa ser vencido.

    E a questão do impacto ao meio ambiente que causaria esta enorme força magnética com relação a saúde, meios de armazenamento de dados e outros. Enquanto são pequenos nada disso influencia. Mas a medida que crescem em tamanho os efeitos poderiam ser sentidos...

    Lembram que no início eu disse que não tenho ideia formada. Até citei que deveria ter alguma coisa que explicasse a dificuldade que o setor industrial tem para entrar de cabeça nas pesquisas neste setor. Quem sabe estaria aí a questão comercial e ambiental.

    Quando falamos em magnetísmo não estamos falando em moto contínuo. Este sim, na sua pura definição é algo fora de cogitação pelo menos no nosso conhecimento atual. Se "surgirem" novas leis físicas, (kkk) até que se poderia pensar.. mas daí cai no espaço destinado ao sonho.

    Mas falar em neodímio como motocontínuo, é misturar "alhos com bugalhos".

    O interessante é que os inventores que se destacaram na história foram todos sonhadores e persistentes pesquisadores.
    Quem diria algum tempo atrás que supercondutores poderiam vencer a força da gravidade? Hoje é realidade. Aplicações práticas dai é outro capítulo...

  17. não é tão raro assim,kkk, Geólogo baiano descobre reserva de terras raras (neodinio) de US$ 8,4 bi

    http://economia.ig.com.br/geologo-ba...732489795.html

  18. Citação Postado originalmente por rogermacedo Ver Post
    não é tão raro assim,kkk, Geólogo baiano descobre reserva de terras raras (neodinio) de US$ 8,4 bi
    Notícia interessante. Resta ver como está hoje a situação, pois ela é de 2012. E os personagens são conhecidíssimos no cenário do "embrólio".

    Mas de qualquer forma é uma boa notícia pois mostra que há uma preocupação com as descobertas de novas reservas do neodímio. Sem estas reservas confirmadas acho muito difícil uma tecnologia se firmar comercialmente...

  19. ainda não é o momento, mas a energia livre vira, em breve...






Tópicos Similares

  1. Projeto para energia em POP
    Por gabrielest no fórum Redes
    Respostas: 21
    Último Post: 16-10-2016, 19:31
  2. Monitorar Energia e Temperatura nos POP's
    Por Ellzio no fórum Redes
    Respostas: 9
    Último Post: 29-07-2015, 19:52
  3. squid+iptable-smtp.pop
    Por APeixoto no fórum Segurança
    Respostas: 3
    Último Post: 27-09-2002, 17:12
  4. Regra para habilitar pop e smtpo no Ipchains
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 1
    Último Post: 08-09-2002, 23:09
  5. Regra para habilitar pop e smtpo no Ipchains
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 2
    Último Post: 04-09-2002, 15:23

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L